facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 1093 - Já nas bancas!
09/11/2018

Pinheiros de pedra em Prudentópolis chamam atenção e atraem turistas

Pinheiros de pedras se tornaram atração turística no interior de Prudentópolis, atraindo visitantes de todo o estado. Lenda diz que pinheiros viraram pedra após moradores trabalharem em uma Sexta-feira Santa.

Pinheiros de pedra em Prudentópolis chamam atenção e atraem turistas

“Sei o que o pai contava”. É desse modo que Valdomiro Miksi conta a história passada de geração em geração e que tenta explicar o fenômeno encontrado no interior de Prudentópolis, na localidade de Ponte Nova.

Em um pequeno morro, uma grade de arame protege os buracos onde estão os famosos pinheiros de pedra. Em cada buraco é possível observar os troncos dos pinheiros, cortados em formato de tora, como se alguém tivesse cortado em pedaços todo o tronco. Mas somente quando se toca no tronco é que é possível sentir que não é madeira, mas sim, pedra.

Em frente ao local, mora Valdomiro que reconta a história conhecida pelos moradores da localidade, onde diz que há mais de 150 anos, dois moradores foram cortar pinheiro em uma Sexta-feira Santa. “Uns dizem que era meio-dia. Mas era cedo, eles contam. O pai contava que era cedo. Antes de tomar café, eles foram, derrubaram pinheiro. Quando foram tomar café e voltaram, estava tudo pedra”, disse.

Lenda

A história contada pelos moradores do interior de Prudentópolis acabou integrando um livro que reúne diversas histórias que permeiam a cultura popular do Paraná.

No livro “Lendas e Contos Populares do Paraná”, feito pelo Governo do Estado, a lenda conta que mãe e filho eram cristãos e que o pai zombava da religiosidade. Na lenda, o dia em que a história acontecia foi o dia 25 de março, Anunciação de Nossa Senhora. Enquanto mãe e filho iam à igreja, o pai decidiu cortar os pinheiros. No outro dia, quando foi para preparar para levar os tocos de madeira, o pai viu que os pinheiros haviam virado pedra.

Local com muitas pedras

A história sobreviveu na comunidade por décadas. Cada morador replicava a história para a geração mais nova, que repetia o mesmo processo. No entanto, por muito tempo a história ficava somente na localidade e era contada novamente a cada novo pinheiro de pedra encontrado.

E foram muitos. Valdomiro conta que o local é cheio de pedaços de madeira que viraram pedra. De pouco a pouco, mais pessoas achavam e acabavam levando o achado para suas casas. “Tinha meu irmão mais novo, ele gostava de pescar. Ele foi calcar meio campo, para pescar, no gramado. Foi cavocando e achou uma pedra. Começou a limpar. Era uma tora grossa. Nós tiramos para cima da terra. Só que o povo quebrou e levou tudo”, conta.

Ele ainda relata que o local, onde hoje estão os troncos, já teve moradia e que na época, muitos dos pedaços apareciam, sem precisar escavar a terra.

Toda a área é rodeada deste material. Valdomiro conta que encontrou um pedaço inclusive em frente à sua casa, que fica do outro lado da estrada rural onde estão os pinheiros expostos. “Aparecia as pedras por cima. Mas a turma foi levando. Se cavocar, acha mais”, conta.

Turismo

A lenda de como os pinheiros viraram pedra passou por diversas versões, mas chegou aos ouvidos dos turistas que estão cada vez mais atraídos pelo local.

Valdomiro conta que o local não era muito visitado, mas há três anos a prefeitura de Prudentópolis limpou o lugar e tem divulgado o espaço. Recentemente, as grades de arame foram colocadas para proteger os pinheiros de pedra.

Desde então, cada vez mais visitantes estiveram no local. “Veio agora que limparam agora. Deus o livre de gente que vem. Nos feriados e domingo é gente o dia inteiro”, disse.

Ele conta que antes não era comum ver os turistas, mas que a visitação se intensificou neste ano. Um dos motivos apontados por ele foi a Caminhada Internacional na Natureza, ocorrida em setembro, que atraiu diversas pessoas de diferentes lugares. “É para vir de Curitiba um monte de aluno”, conta empolgado.

Porém, a falta de cuidado com o local tem chamado a sua atenção. Segundo ele, muitos pegam partes de pedras e levam para casa. Por isso, ele acha que precisam colocar grades maiores para impedir o acesso. “Tem gente que só tira a foto. Tem gente que leva a pedra. Estão estragando”, relata.

Verdade ou não?

A lenda do pinheiro de pedra tem atraído especialmente pela sua história. No local, ainda não há explicação para o que aconteceu, mas para Valdomiro, a história é de verdade. “Tem gente que não acredita. Dizem que é qualquer pedra. Mas qualquer pedra, seria umas pedras miúdas. Ali deu 21 metros comprido! Mas já foi tirado”, conta.

 

Madeira que vira pedra?

Não é possível afirmar o que aconteceu em Prudentópolis, mas outros lugares do mundo compartilham um fenômeno parecido.

Nos Estados Unidos foram encontrados troncos de madeira petrificada em pé, e na Patagônia, no sul da Argentina, também foram encontradas algumas madeiras petrificadas.

Mas é no Brasil, mais especificamente no Rio Grande do Sul, que a maior parte é encontrada. Cidades como Santa Maria, Mata e São Pedro do Sul possuem verdadeiras florestas de madeira petrificada. Muitos pontos são estudados por pesquisadores que procuram entender a formação dos materiais.

Os locais onde as madeiras petrificadas foram encontradas possuem especialmente sílica, substância que quando aquosa, penetra nos poros das árvores e a petrifica, tornando-a uma pedra. Todo o processo ocorre por milhares de anos. Em florestas petrificadas no Rio Grande do Sul, imagina-se que o processo possa ter ocorrido há mais de 200 milhões de anos.

Texto: Karin Franco

Foto: Silmara Andrade/Hoje Centro Sul

Galeria de Fotos