facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 1093 - Já nas bancas!
07/11/2018

Inicia a 2ª etapa de vacinação contra febre aftosa

Inicia a 2ª etapa de vacinação contra febre aftosa

Inicia nesta quinta-feira (01) a segunda etapa de vacinação contra febre aftosa. O prazo para vacinação vai até o dia 30 de novembro. A partir do dia 1º de dezembro, quem não fizer a vacinação é considerado inadimplente e não conseguirá mais comprar a vacina.

Quem não fizer a vacina terá que comparecer à Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (ADAPAR), e pedir uma autorização especial. O produtor estará sujeito à multa no valor de R$1.000,84 até dez cabeças bovinas.

Essa segunda etapa é obrigatória a vacinação de todo o rebanho. Os únicos que não devem ser vacinados, são aqueles que serão enviados para abate até o final do ano, e deverão constar no comprovante como não vacinados para abate.

Vacinação

A vacina custa aproximadamente R$ 20, tendo seu preço variado de acordo com cada loja veterinária. A dosagem é de 5ml para cada cabeça, independente de sua categoria.

Deve ser comprada e aplicada pelos próprios produtores. Lembrando que a comprovação pode ser feita na loja, na unidade veterinária da Adapar ou pelo site online.

A veterinária e fiscal agropecuária do Adapar de Irati, Cristina Barra do Amaral Bittencourt, explica como deve ser feita a vacinação. “As prevenções de usar agulhas limpas e fervidas para matar as bactérias, sem a necessidade do uso de desinfetante. Aplicar de preferência sob cutânea, que seria em baixo do couro, procurar não estressar os animais, fazer de forma calma, para a vacina fazer um bom efeito. É importante também lembrar de sempre manter em refrigeração. Na hora de comprar é necessário levar uma caixa de isopor, caso contrário a loja não venderá. Só deve ser tirada da refrigeração na hora da aplicação, senão a vacina entra em processo de deterioração”, diz.

 

O que é Febre Aftosa?

 

A febre aftosa é uma doença vesicular, transmitida por um vírus agressivo que se propaga em roupas, nas rodas dos veículos e pela saliva dos animais.

Os animais que pegam a doença tem febre alta e feridas, aftas na gengiva, na língua, entre os cascos e nas tetas. Não conseguem engolir nem beber água, muitas vezes não conseguem andar e geralmente o animal acaba indo a morte, porque não consegue se alimentar.

Pode atacar todos os animais de casco partido como o cabrito, porco, carneiro entre outros.

 

Texto: Da Redação/ Hoje Centro Sul

Foto: Jonas Stefanechen/ Hoje Centro Sul