facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 1087 - Já nas bancas!
03/08/2018

Guarda Municipal de Irati começa a utilizar armas não letais

Guarda Municipal de Irati começa a utilizar armas não letais

A Guarda Municipal de Irati está, desde a última semana, realizando trabalhos com as armas não letais. Os agentes iniciaram o uso após um curso realizado na sede da Polícia Rodoviária Federal, em Ponta Grossa.

 

“Em termos de segurança para o agente, melhorou muito, porque se tem mais confiança de chegar em uma situação. Nós já utilizamos para abordagem, no caso de furto de dinheiro”, disse o comandante da Guarda Municipal de Irati, Paulo Sabatoviski.

 

Conhecidas como sparks, as armas não letais têm o objetivo de ajudar a imobilizar em casos mais violentos. “Tem um alcance de até seis metros. Dá uma descarga elétrica não letal que imobiliza. A duração do choque é cinco segundos. É o tempo suficiente para imobilizar o cidadão, algemar. Não é letal, mas é efetiva”, explica o comandante da Guarda Municipal.

 

Os guardas passaram por um treinamento em que tiveram aulas teóricas e práticas sobre o uso correto da arma não letal. “O curso teve cerca de quatro horas de aula teórica, para conhecimento da arma, manuseio, questão da rotina diária, o teste que se faz, e duas horas de aula prática. Passamos inclusive pela experiência do choque – não era obrigatório – mas era para saber sobre o equipamento e confiar para que ele é eficaz”, disse.

 

Curso de Formação

 

Os guardas municipais que ainda não tinham o Curso de Formação estão terminando o treinamento. No dia 10 de agosto deverão ser entregues os certificados em uma cerimônia junto à Polícia Militar, que promove o curso.

 

Após esse curso, os guardas deverão passar por mais treinamentos. “Na sequência queremos iniciar o curso de armamento e tiro letal, tendo em vista que a Guarda Municipal já dispõe das [armas] calibre 12 que pretendemos utilizar em algumas situações e as pistolas calibre 380 – que também já estão licitadas e com autorização do Exército”, explicou Paulo Sabatoviski.

 

Os guardas deverão passar por 160 horas/aula, além de avaliação psicológica. Cada guarda deverá ao menos disparar 600 tiros durante o curso.

Foto/Texto: Karin Franco/Hoje Centro Sul

 

Galeria de Fotos