facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 1094 - Já nas bancas!
02/08/2018

Editorial - Lazer para todos

Editorial - Lazer para todos

Na educação, um dos maiores desafios da atualidade é saber como adaptar as práticas pedagógicas a essas novas expressões, identidades e ritmos da cultura jovem. Para que uma educação mais participativa e integral possa ser construída, é fundamental não só adequar conteúdos, mas também envolver os próprios sujeitos na construção dos saberes, considerando os que eles já trazem consigo.

 

A realidade dos jovens nos dias de hoje é múltipla. Eles escolhem o estilo que mais lhes agrada, formam grupos independentemente de espaço geográfico e cada grupo possui gostos distintos, estilos diferentes, e tudo que envolve cada um desses micro universos deve ser pensando com cuidado. Eles não querem só aprender, eles querem aprender de um jeito novo, em lugares diferentes e de formas diferentes.

 

A juventude é sinônimo de transição, época de experimentar e definir sobre a si mesmo, momento de fazer escolhas, projetos e ter relações com o mundo ao redor. Momento de transformação pessoal com perspectivas de mudanças sociais para o futuro. 

 

Viver momentos de lazer na juventude é essencial para alcançar qualidade de vida. Cultura e entretenimento estão diretamente relacionados ao estado de bem-estar que tanto buscamos. Encontrar amigos, ir ao cinema, assistir a uma peça de teatro ou até mesmo tomar um chimarrão na praça são atividades que podem aumentar o nível do neurotransmissor serotonina e do hormônio ocitocina, que estão associados ao bem-estar psíquico e, consequentemente, à saúde física e mental.

 

Há, também, a estimulação de centros cerebrais de recompensa, associados ao prazer, os mesmos que são despertos quando degustamos um saboroso alimento, experimentamos uma nova paixão, quando solucionamos um problema ou quando conseguimos comprar algo novo e muito desejado. Ativar estes centros nos jovens garante a sensação de bem-estar e de prazer, e a cultura e o lazer são importantes estimulantes para isso.

 

E se o lazer é comum, deve estar acessível a todos, deve ser oferecido a todos, inclusive aos mais humildes. Através do lazer, o jovem pode ocupar a cabeça, pode fazer amizades e construir sonhos.

 

Pensando nisso, se torna essencial pensar em locais que possam oferecer lazer e integrar jovens dos mais diferentes tipos, estilos e classes sociais. O Centro de Arte e Esportes, inaugurado recentemente em Irati, é um desses exemplos que podem proporcionar mudança significativa para diversos jovens. Além de oferecer um novo espaço seguro, ajuda com que muitos possam desenvolver habilidades motoras e sociais, e ao mesmo tempo, ter as condições necessárias para que adolescentes consigam se desenvolver e se tornarem adultos produtivos dentro da sociedade.