facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 1070 - Já nas bancas!
20/07/2018

Rede Feminina Iratiense de Combate ao Câncer busca hospital

Rede Feminina Iratiense de Combate ao Câncer busca hospital

Quem visitou o 30º Rodeio de Irati, no último final de semana, pode constatar logo na entrada do portal principal do Centro de Tradições Willy Laars, a barraca da Rede Feminina Iratiense de Combate ao Câncer. No local permaneceram à venda, por R$ 30, canecas e camisetas com os símbolos da campanha contra o câncer de mama.

Contudo, também no espaço, as pessoas puderam conhecer a concepção arquitetônica do novo Hospital Erasto Gaertner Unidade de Irati, no banner que as voluntárias deixaram exposto no local. A edificação é o novo sonho da entidade, a fim de dotar Irati e região de um espaço próprio e apropriado para atender os pacientes que apresentam enfermidades oncológicas.

A presidente da Liga Feminina Iratiense de Combate ao Câncer, Ieda Regina Schimalesky Waydzik, explica que a obra terá custo em torno de R$ 40 a 50 milhões e que, a exemplo da unidade que há na Capital do Estado, a de Irati será um hospital completo, dotado dos setores de quimioterapia, radioterapia e fisioterapia e dos demais necessários. “ Vamos buscar a arrecadação de fundos para edificação do prédio, que será feita na forma de construção por módulos. Existe grande número de pessoas para primeiras consultas oncológicas aqui na região. Há 70 pacientes de quimioterapia por mês. Então o atual prédio em Irati, antigas dependências da Anapci, já se mostra limitado para atender todas as necessidades”, detalha Ieda.

Doação de área

A presidente enaltece o gesto do prefeito Jorge Derbli que, como pessoa física, efetuou a doação da área para as futuras instalações, no Bairro Riozinho.

Derbli comenta que, “há questão de cinco anos atrás, já tinha a intenção de doar área da família para contemplar um hospital do câncer em Irati”. Trata-se de um terreno com aproximadamente 10.000 metros quadrados de área.

“Este imóvel já está oficialmente repassado ao Erasto Gaertner, para que possa ser encaminhado o restante da documentação. Fizemos todo o processo legal em cartório na semana passada. O próximo passo é estruturar o projeto e, com esse projeto bem feito em mãos, ir atrás dos recursos necessários”, detalha o prefeito.

Lucro das iniciativas da Liga vão para a Unidade Irati

Ieda comenta que o lucro de todas as iniciativas e campanhas de arrecadação promovidas pela Liga Feminina Iratiense de Combate ao Câncer é destinado ao Hospital Erasto Gaertner Unidade Irati. “Há uma conta para o depósito destas importâncias ao nosso hospital, assim como será feito com o que foi arrecadado durante os dias do rodeio”.

A presidente também comenta que há uma certa confusão e dificuldade de compreensão em identificar e separar o que é a Liga e o que é a Anapci. “São duas entidades totalmente diferentes. A Liga Femininade Irati foi criada especificamente para atender o Erasto Gaertner local, por ser uma exigência daquele hospital. Já a Anapci acolhe, além do Erasto, pacientes oriundos de todos os hospitais que dão atenção ao câncer, como o Pequeno Príncipe, São Vicente e Evangélico, por exemplo”.

A primeira Unidade de Serviço de Oncologia Clínica Adicional do Paraná, em Irati, foi inaugurada em outubro do ano passado. Esta é a nomenclatura oficial definida pela Ministério da Saúde para a extensão do Hospital Erasto Gaertner (HEG), que passou a atuar com proposta de atender também os demais nove integrantes da Associação dos Municípios da Região Centro Sul do Estado do Paraná (AMCESPAR).

Texto/Fotos: Assessoria PMI

Galeria de Fotos