facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 1062 - Já nas bancas!
27/06/2018

Produção de erva-mate tem diversas aplicações e espaço para crescer na região

Em workshop realizado em Irati, empresas privadas e públicas discutiram o desenvolvimento da cultura da erva-mate na região

Produção de erva-mate tem diversas aplicações e espaço para crescer na região

Além do chimarrão e do chá, muito comuns no Sul do Brasil, a erva-mate pode ser usada na fabricação de muitos outros produtos. Historicamente, a erva-mate tem sido fundamental para o desenvolvimento da economia de muitos municípios do Sul do Brasil, pois é o principal produto não madeireiro do agronegócio florestal da região. Seu cultivo abrange uma área de, aproximadamente, 540 mil quilômetros quadrados, entre os estados do Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e extremo sul de São Paulo e do Mato Grosso do Sul.

São diversos produtos criados à base de erva-mate, como energéticos, sucos, suplementos e cosméticos. E esse mercado ainda pode ser bastante explorado, já que o potencial da erva-mate também vem sendo descoberto pelo mercado internacional, o que inclui seu uso como matéria-prima de produtos que vão da alimentação à cosmética.

Evento

Visando o constante crescimento e interesse pela ampliação dessa cultura, o Núcleo Regional da Secretaria de Estado de Agricultura e Abastecimento do Paraná realizou na última quinta-feira (21) o Workshop Erva-Mate e Indicação Geográfica. O evento aconteceu no auditório do PDE da Universidade Estadual do Centro Oeste, Unicentro.

Durante o evento foram abordas as seguintes pautas:Indicação Geográfica e Marcas Coletivas, Indicação Geográfica da Erva-mate em Santa Catarina, Marcas Coletivas para Sistemas Tradicionais e Agroecológicos de Erva-mate e Arranjo Produtivo Local.O evento aconteceu durante todo o dia.

Igor Felipe Zampier, chefe do Núcleo Regional da Secretaria de Estado de Agricultura e Abastecimento destaca o grande número de produtores de erva mate na região. “A nossa região, anualmente gera em torno de 72 milhões de reais, esse é o valor bruto, sem processamento, in natura, no nosso estado.Isso corresponde a meio bilhão, chega a ser a oitava região mais procurada do Paraná”, destaca.

O workshop foi idealizado para promover a discussão entre empresas privadas e públicas sobre o desenvolvimento da erva-mate na região. “O evento foi organizado principalmente para atender uma demanda da região, vinda de algumas indústrias e produtores. Queremos trazer informação sobre a Indicação Geográfica e as marcas coletivas”, diz Pablo Signor engenheiro florestal do Núcleo Regional da Secretaria do Estado de Agricultura e Abastecimento.

A ideia de realizar o evento surgiu após uma cidade vizinha receber a Indicação Geográfica. “Surgiu recentemente uma Indicação Geográfica em São Mateus do Sul, acredito que em decorrência disso houve mais o interesse em discutir o assunto, depois de conversas e várias reuniões, decidiu-se realizar o evento, trazer palestrantes”,comenta Pablo.

O número de produtores que comercializam a erva-mate na região é elevado. “Essa cultura faz o diferencial. Cerca de 13 mil produtores comercializam e têm essa cultura em suas propriedades, nós não tínhamos dado tanta importância para isso”, comenta Igor.

Pablo reforça a importância da cultura. “A erva-mate já é uma agricultura tradicional aqui na região, ela tem uma importância tanto em termos econômicos para a região quanto em termos sociais, ela envolve um grande número de produtores a campo e gera emprego na cidade, tem várias indústrias na região que beneficiam a erva mate, então é uma cultura que tem essa importância social, econômica e também ecológica para a região”.

Ele também fala que a erva-mate é uma das poucas culturas onde o agricultor pode conciliar a produção e a conservação na mesma área. “Principalmente nesse momento onde as questões ambientais são cada vez mais debatidas, mais cobradas do produtor, ela é uma cultura muito importante que consegue conciliar essas duas necessidades”, diz Pablo.

Para mostrar as opções que a erva-mate oferece em se tratando de gastronomia, foi servido no início do evento um café colonial com produtos desenvolvidos à base de erva-mate. Dentre os produtos: bolos, Paes, brigadeiros, mousse, salgados entre outros.

Texto e fotos: Silmara Andrade/Hoje Centro Sul

Galeria de Fotos