facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 1072 - Já nas bancas!
08/06/2018

Sandro Alex é escolhido para presidir Comissão da MP dos Eixos Suspensos

A Comissão vai analisar a MP 833\2018, que reitera o dever dos estados brasileiros em cumprir a Lei 13.103\2015 – que já previa a isenção da cobrança de pedágio para eixos suspensos de caminhões sem carga

Sandro Alex é escolhido para presidir Comissão da MP dos Eixos Suspensos

O deputado federal Sandro Alex (PSD) foi escolhido para presidir a Comissão Mista, composta por senadores e deputados, que vai analisar a Medida Provisória Nº 833\2018, que trata da isenção da cobrança de pedágio para eixos suspensos de caminhões sem carga. Esta foi uma das pautas das reivindicações dos caminhoneiros que o Governo Federal se comprometeu a atender.

Para atender à reivindicação, o Governo se baseou na Lei 13.103\2015, no artigo 17, de autoria de Sandro Alex, que determinou a isenção dos eixos suspensos. O parlamentar foi escolhido para ser o presidente da Comissão por ser o autor da lei e ter bastante conhecimento acerca do tema.

Agora, com a MP, estão sendo incluídos pelo Governo na lei alguns parágrafos que reiteram o dever dos estados brasileiros em cumprir a determinação. A lei de 2015 atendeu aos pedidos dos caminhoneiros na primeira grande paralisação nacional da classe.

Entretanto, alguns estados ingressaram no Judiciário para questionar a isenção. Nesta semana, com a iniciativa do Governo em atender ao pedido dos caminhoneiros, a Agência Reguladora do Paraná (Agepar) e o Departamento de Estrada de Rodagem (DER) exigiram no Paraná o cumprimento da lei, assim como está acontecendo nos demais estados.

Com a MP, o Congresso Nacional tem quatro meses para aprová-la e assim garantir a aplicação da lei de Sandro Alex de forma definitiva em todo o território nacional.

“Sou grato aos membros do Congresso Nacional por me indicarem como presidente desta importante comissão mista, que trata de um tema no qual trabalho deste o início do meu mandato,até em virtude de ser representante de Ponta Grossa e dos Campos Gerais, terra reconhecida como capital dos caminhoneiros”, destacou Sandro.

Os deputados e senadores vão avaliar o tema e têm até 120 dias para concluir os trabalhos na Comissão.

Texto e foto: Assessoria DSA