facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 1057 - Já nas bancas!
25/05/2018

Moradores de Teixeira Soares tentam recuperar estragos causados por temporal

A forte chuva de granizo que atingiu Teixeira Soares na sexta-feira (18) danificou cerca de 400 casas. Prefeito Lula Thomaz decretou estado da calamidade pública e moradores tentam reparar os estragos provocados pelo temporal

Moradores de Teixeira Soares tentam recuperar estragos causados por temporal

O início da semana foi de recuperação para os moradores de Teixeira Soares. De acordo com a Defesa Civil, foram mais de 400 casas e mais de 1800 pessoas atingidas pelas fortes chuvas de sexta-feira (18). As ruas ficaram cobertas por granizo e muitas casas foram destelhadas.

Uma das moradoras de Teixeira Soares que teve prejuízos com o temporal é Geni Lisnlowski. Sua casa ficou totalmente destelhada por causa das pedras. Além disso, ela acabou quebrando o braço durante o temporal. “Saí para pegar um rodo e não vi que tinha pedra. Quando vi, caí de costas e caí em cima do braço. Nós fomos no hospital aqui. Eles encaminharam para fazer Raio X em Irati. Lá em Irati, encaminharam de volta, não fizeram nada. Disseram que tinha que voltar aqui e fazer a tala, injeção, e o atendimento ambulatorial, aí agora estou correndo atrás”, conta. Na terça-feira (22),Geni conseguiu uma consulta com um médico especialista.

Elvira Dalva Gloden também teve a casa toda destelhada. Ela conta que as pedras perfuraram as telhas da casa, o que deixou muitas coisas ficassem molhadas. “Molhou forro de cama, colchão, um pouco de roupa, eu até por sinal ainda estou com máquina cheia para lavar”, disse.

Ajuda

O município de Teixeira Soares tem recebido diversos materiais, mas que ainda são insuficientes para  resolver todos os danos provocados pelo temporal. Cerca de 4 mil telhas já foram distribuídas somente no fim de semana. Outras 10 mil telhas começaram a ser distribuídas a partir de terça-feira (22), quando o segundo lote chegou.

Segundo o secretário da Família e Desenvolvimento Social, Adriano Pitter José Heinen, a ajuda iniciou logo após o temporal. No sábado (19), equipes da secretaria começaram a realizar um cadastro vendo as necessidades dos atingidos. “No sábado começamos a fazer o cadastramento, avaliação, as equipes foram para os bairros atingidos, vendo a real necessidade. Os kits começaram a chegar no sábado à tarde. No domingo, priorizamos a entrega das lonas e depois a entrega dos Eternits [telhas]. Domingo e segunda-feira começamos a fazer as separações do público mais prioritário, que mais precisa, que não tem e perderam realmente tudo”, disse.

O município recebeu do governo estadual e federal diversos materiais. Foram cestas básicas, kits de limpeza, higiene, colchões, kits de cama (com travesseiro, forro, lençol), além de lonas e telhas. Os materiais estão sendo distribuídos para as famílias que mais precisam, de acordo com o castrado realizado pela Secretariada Família e Desenvolvimento Social.

Distribuição

Um dos moradores que recebeu algumas telhas foi Antônio Ferreira de Lara, que mora junto da sua esposa acamada e seu filho. Ele conta que teve perdas em todo o telhado, por causa da chuva de granizo. Na tarde de segunda-feira seu filho o ajudava a colocar algumas telhas, mas ele conta que a quantidade não deve cobrir os danos integralmente.

Apesar disso, Antônio disse que conseguiu salvar os móveis porque acabou fazendo com que as goteiras do forro canalizassem para a cozinha. “Trabalhei em várias coisas. Ali no meio da cozinha não tinha nada. Só arredei a mesa da cozinha. Mas não vencia de colocar a água para fora”, conta.

Kimberly Tais Borges Martins,que mora no bairro Blumenau com o marido e a filha de menos de um ano recebeu, além de lonas, também cesta básica, colchão, kits de limpeza e de cama.

Ela conta que boa parte da casa ficou destelhada e muitos móveis acabaram sendo danificados, como televisão e utensílios domésticos. “Estávamos acordados, assistindo, aí começamos escutar o barulho da pedrinha pequena caindo primeiro. Quando começou a dar uma chuvinha, uma calmaria, não ligamos, pensamos que era só a chuva. Aí pedi para o meu marido recolher a roupa para mim, que estava no varal. Na hora que ele saiu, caíram as pedras. Ele machucou o dedo e a nuca”, relembra.

A mãe de Kimberly, Ivone Linhares Borges, mora próximo e também teve sua casa atingida. Ela mora com outros dois filhos, um de 10 anos e outro de 12 anos, e relata que os danos provocados pelo temporal. “O telhado está detonado. Ele não saiu do lugar, mas com a pedreira que deu, furou tudo. Tá cheio de lona aqui”, disse. Ela também conseguiu receber materiais de ajuda.

Entretanto, a quantidade de telhas do primeiro lote não foi suficiente para atender todos os moradores atingidos ainda no fim de semana. É o caso de Marili Janiaki Carlos, também moradora do bairro Blumenau, é diarista e reside com seu filho de 13 anos. Segundo ela, 24 telhas de sua casa foram quebradas durante o temporal e mesmo já tendo feito o cadastro, até segunda-feira ainda não havia recebido ajuda.    

Doações

As doações estão aos poucos sendo enviadas ao município e distribuídas assim que chegam. Mesmo assim, toda a ajuda é bem-vinda. Segundo o secretário da Família e Desenvolvimento Social, Adriano Pitter José Heinen, roupas e alimentos são as principais necessidades. “No momento o que precisamos é de cestas básicas, que o povo precisa bastante, nós ainda temos uma quantidade de colchões, mas acredito que vá faltar. Também precisamos de cobertores e roupas. Tudo é bem-vindo. Leite principalmente para crianças”, disse.

A coordenadora da Defesa Civil de Teixeira Soares, Dionara Aparecida Voitechen, destaca que as pessoas precisam estar atentas à data de validade dos produtos doados. “Sejam alimentos dentro da validade. De repente têm pessoas que na hora de doar não prestam atenção e acabam doando coisas vencidas ou perto da data de validade”, disse.

Prefeito decreta estado de calamidade pública

O prefeito Lula Thomaz decretou estado de calamidade pública devido ao temporal de sexta-feira (18). Na segunda-feira (21) ele esteve em Curitiba, onde se reuniu com a governadora Cida Borguetti para ver recursos para o município.

A coordenadora da Defesa Civil de Teixeira Soares, Dionara Aparecida Voitechen, destaca que o atendimento continua sendo prestado. “A defesa civil está prestando todos os serviços. Tivemos a colaboração da Casa Militar, das secretarias do município, Corpo de Bombeiros de Irati e da Defesa Civil de Ponta Grossa”, disse.

Prédios públicos

Prédios públicos também foram afetados. O hospital e a Clínica da Mulher foram atingidos, e 70% do telhado do pavilhão do Centro de Eventos foi danificado.

“A Casa Lar teve o telhado bem danificado, tanto que, à noite, as crianças foram realojadas em outros lugares. Mas a princípio não teve perdas de mobília. O hospital teve um transtorno grande. Foi mobilizada a equipe do hospital, passaram a madrugada limpando, tinham pacientes. O hospital foi bem atingido. Como a Clínica da Mulher estava fechada no fim de semana, não teve tanto transtorno”, disse o diretor do Departamento de Cultura, Henrique de Melo.

Texto: Karin Franco/Hoje Centro Sul

Foto 1: Divulgação

Fotos 2, 3, 4, 5, 7:Silmara Andrade/Hoje Centro Sul

Foto 6: Karin Franco/Hoje Centro Sul

Foto 8: Divulgação

Galeria de Fotos