facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 1087 - Já nas bancas!
21/05/2018

Fake News

Fake News

Um dia você está navegando na internet e uma notificação salta no celular. Uma mensagem traz uma informação chocante e te toca. Você imediatamente sente a necessidade de compartilhar aquela mensagem com as pessoas que conhece. Sem pensar muito, copia e cola e manda para toda a sua lista de contatos.

É assim que nascem as chamadas notícias falsas ou fakenews. Quem usa a internet há longo tempo, reconhece elas assim que as vê. Inicialmente, as notícias falsas eram espalhadas por e-mail e logo em seguida, ganharam mais visibilidade em fóruns da internet. Com as redes sociais, as notícias falsas ganharam mais força de compartilhamentos. No antigo Orkut, elas já apareciam, mas ainda eram tímidas. Com a facilidade de compartilhamento de informações do Facebook e do WhatsApp, as notícias falsas chegaram a seu auge, sendo utilizadas para influenciar eleições.

No entanto, ela não é uma novidade. Boatos sempre existiram. Fofocas foram contadas de boca a boca por diversas pessoas. Seja por ingenuidade ou até mesmo malícia, as verdades mal contadas sempre existiram. O que não existia era a internet e sua facilidade de compartilhar informação. Só que foi preciso atingir uma eleição presidencial para que grande parte da população reconhecesse isso como perigo.

O compartilhamento acontece por diversos motivos, desde a ligação afetiva e de confiança entre as pessoas que compartilharam a mensagem até o chamado viés da confirmação, quando a mensagem prova um ponto de vista particular.

Além disso, muitas pessoas ainda não conseguem reconhecer os elementos essenciais de uma notícia falsa: sensacionalismo, apelo, letras garrafais, a proibição em meios de comunicação e a insistência em passar a mensagem adiante. Esse não reconhecimento faz com que as pessoas ingenuamente façam parte de uma rede de mentiras que pode prejudicar outra pessoa ou ela mesma.

Notícias falsas são utilizadas para roubar dados e assim aplicar golpes. Além disso, falsas mensagens já foram motivo de acusações, agressões e até assassinato. Fabiane Maria de Jesus foi agredida até a morte em São Paulo após mensagens falsas dizerem que fazia rituais de magia negra com crianças. Luiz Áureo de Paula e Pamela Martins foram espancados no Rio de Janeiro após mensagem viral dizer que haviam sequestrado crianças. Carlos Luiz Batista, morador da Zona Oeste do Rio, recebeu ameaças após um foto sua circular como de um morador da Baixada Fluminense que sequestrava e estuprava crianças.

É por isso que as pessoas precisam começar a assumir responsabilidade com o que compartilham na internet. Se você acha que pode ser falso, não compartilhe. Somente compartilhe o que tem certeza. Isso ajudará com que menos pessoas sejam prejudicadas nesta teia de mentiras.