facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 1057 - Já nas bancas!
18/05/2018

Treinamento para profissionais da construção civil é realizado na região

Para aprimorar a forma como profissionais da construção civil trabalham com o concreto nas obras,aumentando a durabilidade das construções, a Arga Concreto, em parceria com a Itambé, realizou treinamentos em Irati, Palmeira e Prudentópolis

Treinamento para profissionais da construção civil é realizado na região

Na última semana, em três municípios da região, engenheiros, pedreiros, arquitetos e mestres de obra receberam treinamento sobre técnicas e procedimentos para assegurar a melhor qualidade do concreto nas obras. Realizado através da parceria entre a empresa iratiense Arga Concreto e a Cimento Itambé, o evento aconteceu em Palmeira na terça-feira (08), em Prudentópolis na quarta-feira (09) e em Irati na quinta-feira (10).

Quem realizou o treinamento foi o engenheiro civil Idercio França Neves, com apoio de Alessandro Koliski, também engenheiro, ambos da Cimento Itambé.

Idercio destacou a durabilidade do concreto caso ele seja usado de maneira correta.“O concreto deve ter uma durabilidade de pelo menos 50 anos de existência, senão, isso é inviável. Acontece que no Brasil a maior parte de argamassa não aguenta isso”, comenta.

Segundo o engenheiro,na maioria das vezes, a durabilidade reduzida é ocasionada pela falta de conhecimento de alguns profissionais. “É o desconhecimento e a negligência das pessoas que trabalham nessa área, para não dizer desleixo”, diz Idercio. E ele explica: “Todos nós dizemos que sabemos fazer concreto. A coisa não é bem assim. As pessoas dizem:‘Concreto é só misturar areia e água e já está pronto o concreto’. Que bom se fosse só isso. As pessoas que pensam dessa forma, certamente, estão fazendo com um produto mais caro e não com qualidade”.

Para que o concreto tenha uma boa qualidade é necessário que os ingredientes sejam pensados e dosados. “O concreto, a exemplo da nossa saúde, tem que começar pelo laboratório, para analisar as matérias complementares, e a partir das análises de laboratório você confecciona uma dosagem. É como fazer a dosagem de um bolo: a quantidade exata de cada material de qualidade e elaborar a dosagem de argamassa ou de concreto e enviar pra obra”, detalha o engenheiro.

Um dos problemas que pode prejudicar uma obra, segundo Idercio,é o fato de alguns profissionais da construção civil alterarem o concreto depois que ele chega à construção. “O grande problema da concreteira: ela fabrica o concreto com qualidade, no momento que ele chega à obra, ele é alterado. Adicionam mais água, acima do previsto, reduzem a resistência do concreto”, comenta.

Esse fato ocorre justamente por falta de conhecimento de alguns profissionais ou porque eles acreditam que possam economizar fazendo essa alteração. Estima-se que 50% dos problemas causados na argamassa sejam pela grande quantidade de água utilizada na mistura da massa.

Nesse contexto, o treinamento proposto pela Arga Concreto é justamente para tentar evitar problemas dessa natureza. “O principal objetivo aqui é convencê-los a pedir o concreto já da forma com que irá usar. Ele vai pagar talvez um pouquinho a maispor um produto chamado aditivo plastificante que reduz a água e trabalha com o concreto moídodo jeito que ele quiser”,fala.

Importância da qualidade

O treinamento também buscou conscientizar os profissionais quanto à importância da qualidade do concreto para uma obra durável, que atenda a expectativa do cliente. “A gente quer conscientizá-los a fazer concretos de qualidade e lançar com qualidade, adensarcom qualidade e proporcionar uma vida útil de pelo menos 50 anos.Eu parto para o lado do sentimentalismo para tentar convencê-los e é verdade, de repente,tem um pai de família que economiza a vida inteira para comprar uma casa, na hora que compra a casa, em 5 a 10 anos a casa já está cheia de problemas, pelo concreto, pela argamassa, enfim, temos que proporcionar essa condição de uma vida útil longa”, destaca.

A Cimento Itambé também possui um laboratório móvel. Caso necessário, o laboratório vai até a obra e ensina os profissionais a fazerem a dosagem correta dos ingredientes. “Nós temos o laboratório móvel e esse laboratório vai até a concreteira, vai até a obra se for o caso, até a fábrica de pré-moldados de concreto e ajuda o cliente na dosagem dele, a tornar com melhor qualidade, de menor custo. Dentro desse programa da assessoria técnica e dosagem, a gente faz as palestras. Hoje a gente está fazendo uma palestra aqui e de repente isso vai despertar o interesse de chamar na obra dele pra ver o problema”, fala Idercio.

El edestaca que o treinamento oferecido pela Cimento Itambé, na região em parceria com a Arga Concreto, foi criado há aproximadamente vinte anos para dar suporte aos clientes. Porém, aos poucos, começou a serdestinado também a formadores de opinião e as palestraspassaram a ser realizadas em associações, sindicatos, universidades e cursos técnicos, para estudantes de engenharia e arquitetura. Entretanto, a prioridade do treinamento continua sendo o cliente.

Texto: Da Redação/Hoje Centro Sul

Fotos: Divulgação Arga Concreto

 

Galeria de Fotos