facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 1070 - Já nas bancas!
23/04/2018

A praga do Preconceito

A praga do Preconceito

Você já parou para pensar que em algum momento da sua vida você já foi preconceituoso?Já parou para pensar que aquela pessoa mal vestida que passava perto do seu carro era apenas um trabalhador voltando do trabalho, mas você por medo, ergueu o vidro e travou a porta?

Preconceito vai muito além de cor, raça ou orientação sexual. Preconceito é o conceito que temos quando não conhecemos alguém ou algum lugar. Tudo que é dito como “diferente” é julgado, maltratado como se aquilo fosse algo tenebroso, mas não é!

A sociedade inventou um padrão de beleza, e esse padrão é dado como “certo”. Ele é julgado como sendo o melhor, onde a sociedade impõe que devemos aceitar e seguir.

“O cabelo cacheado é cabelo ruim,é melhor alisar. A gordurinha sobrando na calça édesleixo, tantos métodos para emagrecer e não emagrece. As vestimentas que não estão na moda nem devem ser usadas, porque se forem, alguém vai te apontar o dedo na rua e vai te chamar de cafona. O cabelo curto para mulher não combina, é muito masculino. O cabelo comprido para homem é muito feminino, vão pensar que é homossexual. Se usar saia curta, não se dá ao respeito, porque mulheres de verdade não saem por aí mostrando as suas pernas. Se usa saia longa é crente, só pode ser crente. Se está gordinho, parece uma baleia. Se está magrinho, é um palitão. Se for negro e não estiver vestido de forma “correta”, corre, ele só pode estar querendo te assaltar. Se um menino tem gostos femininos é melhor dar uns tapas para virar homem. Os crentes estão no bairro com uma bíblia embaixo do braço,é melhor fechar a casa, antes que eles venham e comecem com todo aquele papo de fim do mundo”. De todas essas frases, quantas você já ouviu? Quantas você já pensou?

O preconceito faz parte do nosso dia a dia. Nós achamos natural imaginar coisas a respeito de outras pessoas sem conhecê-las.  Que atire a primeira pedra quem nunca olhou para alguém e imaginou que a pessoa era de uma maneira, mas que depois se surpreendeu por ter pensado errado. Passamos por isso quase todos os dias. Isso tambémé uma forma de preconceito. O que fazemos para mudar? Nada, afinal como vamos mudar algo que achamos “normal”?

Nunca estamos satisfeitos com os outros. Será que os outros estão satisfeitos com o nosso jeito? Lamento te informar, mas não estão. Talvez você não tenha o corpo que o outro acha perfeito e nem use as roupas que fazem parte do estilo dele. Para ele, você é o diferente. E para você o que é o diferente? Será que o diferente para você não é uma maneira de preconceito? Pense nisso!

Precisamos analisar os nossos atos, analisar os nossos conceitos, ver o que temos de errado e tentar fazer diferente. Precisamos aceitar as diferenças dos outros. A diferença é que nos torna especiais e interessantes. Imagina como seria chato se não houvesse diferença? Seríamos um monte de clones. O legal da vida é ser diferente! Aceite o diferente, seja diferente.