facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 1079 - Já nas bancas!
27/02/2018

Transparência é necessário

Transparência é necessário

O trânsito em todo o Brasil tem tido dificuldade ao longo dos anos. A mobilidade urbana, bem como os congestionamentos, são assuntos que estão sempre entre os mais discutidos em todas as cidades brasileiras.

Fatores como um crescente aumento da frota de veículos bem como o próprio comportamento de motoristas e pedestres têm feito com que problemas surjam. Com isso, autoridades buscam e tentam encontrar soluções para o trânsito.

Um dos problemas são as vagas de estacionamento, que em pequenas cidades parecem ser insuficientes para a quantidade de veículos existentes. Uma das soluções que muitos municípios encontraram é o estacionamento rotativo, que consegue fazer com que mais pessoas consigam utilizar as vagas de estacionamento em espaços com mais movimentação.

No entanto, mesmo a solução encontra polêmica nas cidades em que é implantada. Motoristas argumentam de um lado e de outro lado as autoridades explicam regularmente como o sistema funciona e como é.

Porém, toda vez que os assuntos surgem causando polêmica em redes sociais, imprensa e sociedade, o que é perceptívelé que muitos desconhecem como funciona, e quando tem alguma informação, ela não está totalmente clara.

Isso significa que não há total transparência. Importante ressaltar que as autoridades têm ido esclarecer dúvidas, mas o movimento não tem sido suficiente, já que de tempos em tempos mais dúvidas aparecem.

A transparência de informações é imprescindível para que o sistema tenha credibilidade. A população tem que ter a oportunidade de ir aos portais de transparência e encontrar de maneira simples, fácil, rápida e sem complicações informações sobre o sistema. Desde como funciona até quanto arrecada e para onde vai. Entretanto, as informações são confusas quando dadas e muito burocráticas.

É importante deixar claro que é preciso sim fiscalizar as irregularidades e a multa serve como um meio de educar o motorista que cometeu alguma irregularidade. A questão não é a fiscalização, como parece ser a primeira vista, mas sim a transparência das informações. Somente com informações transparentes é que a população irá confiar no sistema e aderir às boas práticas.