facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 1041 - Já nas bancas!
02/02/2018

Iratiense acompanha visita do Papa no Chile

Marine Javolski Dias conta como foi ver o Papa Francisco de perto durante a sua visita ao Chile

Iratiense acompanha visita do Papa no Chile

A iratiense Marine Javolski Dias realizou um sonho compartilhado por muitos jovens católicos do Brasil e do mundo. Numa terça-feira, 16 de janeiro,durante a visita do Papa à cidade de Santiago, no Chile, ela pôde acompanhar de pertinho a sua chegada.

A jovem de 18 anos comenta que a missa que o Papa realizounesse dia estava marcada para as 10 horas da manhã, mas como imaginavam que muitas pessoas iriam, resolveram ir bemantes, ainda de madrugada. “Quando a gente chegou lá, só estavam os policiais e alguns grupos de jovens. Pudemos escolher onde ficaríamos esperando o Papa. Ficamos próximo ao gradil de uma das entradas onde a missa se realizaria. Durante a espera estava muito, muito frio, então colocamos um cobertor no chão e ficamos nos revezado, porque sabíamos que logo iria ter muita gente”, comenta Marine.

A espera pelo Papa começou à uma hora da manhã. Durante a madrugada, Marine e seus familiares fizeram um revezamento para dormir. Quando a jovem acordou já havia muitas pessoas no espaço. “Quando eu acordei as pessoas já estavam meio que empurrando para ocupar o espaço onde nós estávamos deitados. O sonho já estava começando, conversamos com os policiais para saber se o Papa entraria por aquele portão onde nós estávamos, mas eles não nos deram esperança. Disseram que ele poderia entrar por qualquer um dos portões, já que havia vários”, conta a jovem.

Para aumentar as chances do Papa passar por onde eles estavam, decidiram fazer muitas orações, desejando que isso acontecesse. “Com a resposta do policial de que eles não sabiam por onde ele iria entrar, pensamos que só com muitas orações para ele passar por ali. A partir daí começamos a acompanhar as missas que os padres estavam fazendo e também acompanhávamos o Papa no telão, quando ele foi conversar com a presidente”, comenta.

Durante o evento, Marine conta que não encontrou mais brasileiros participando da missa. “Quando deu 9h40min, eles avisaram que o Papa estava chegando. A gente começou a ficar emocionado, ficamos muito entusiasmados, tinha gente chorando. Quando eles estavam falando de todos os países, eles falaram Brasil, a gente gritou que a gente estava ali. Todo mundo aplaudiu. Quando todo mundo aplaudiu, a gente ficou muito feliz”, conta a menina empolgada com a realização do sonho.

Pontual como sempre, o Papa não decepcionou e exatamente no horário marcado ele estava no evento. “Quando deu10 horas ele apareceu. Ele foi super pontual, apareceu no telão que ele estava passando, só que ele não pegou a nossa entrada, ele pegou a entrada para passar pelos bispos e padres. Eu sóolhei com aquela cara de triste e falei: ‘Nossa, não vou acreditar’. Então, o policial olhou pra mim e falou que não era para desanimar, que ele poderia voltar por nós”, comenta em tom de tristeza.

Mas depois da decepção de acreditar que não veria o Papa de perto, a garota foi surpreendida. “Quando ele passou, a expectativa era que ele parasse com o Papa móvel, descesse e fosse rezar a missa dele, mas ele não parou. Ele virou a volta e foi até o nosso portão. Quando apareceu no portão, que ele pegou a nossa entrada, foi inexplicável. As nossas orações estavam fazendo sentido. Ele estava vindo com o Papa móvel, a gente já começou a tirar foto, com as bandeirinhas, e eu só queria tirar uma foto com ele. Eu só queria realizar meu sonho”, comentou emocionada.

Para guardar esse sonho por toda a vida, Marine tirou muitas fotos e dentre essas, uma selfie que mostra o Papa ao fundo. “Quando ele estava vindo eu consegui uma selfie. Eu tirei meio que de longe porque eu queria ver ele. Quando ele passou pela gente e abençoou, ele passou muito devagar, foi muito sonho. Olhou pra gente e deu um sorriso, aquele sorriso dele foi ‘nossa’... Eu pensei assim: ‘Meu Deus, eu to passando mal agora’. O sorriso dele dizia: que bom que vocês estão aqui.Foi um sonho muito grande”, destaca.

A simpatia do Papa ficou evidente para a jovem. Marine comenta que a missa acabou se prolongando, pois o Papa queria falar com todos. “De acordo com o panfleto a missa seria muito curta, mas ele alongou, foi falar com os jovens, falou com todos os públicos. A missa dele foi maravilhosa, eu até trouxe o panfletinho. Tinha os copos dele para tomar água, que eles davam água pra gente, eu trouxe os copos também. Ele foi dar um abraço em todos os padres que estavam lá. Tinha milhares de padres e ele foi em todos”,comenta.

Com o público, a atitude também foi atenciosa. “Durante o seu percurso, ele parou duas vezes. Parou para atender uma senhora de 99 anos que estava lá. O filho dela estendeu uma placa, então ele parou para dar um beijo na mão dela e a abençoou. A próxima parada foi para ajudar à policial que caiu do cavalo. Ela estava acompanhando o Papa móvel quando caiu do cavalo, ele parou e ajudou”, comenta impressionada com o carinho do Papa.

Empecilhos

Quase que toda essa alegria de Marine não aconteceu. Quando chegou ao Chile, ela precisou providenciar os ingressos, e todos já haviam sido distribuídos. Eles precisaram conversar com muitas pessoas para conseguirem a tão sonhada entrada. Quando estava tudo certo para assistirem a missa, mais um empecilho. No momento de entrar no local, todos os que acompanharam Marine entraram sem nenhum problema. Quando chegou à vez dela, ela foi barrada pelos policias. Segundo eles, a inscrição que Marine carregava não estava preenchida da maneira correta, onde deveria ser digitalizado estava escrito à mão. A decepção da menina foi grande quando os policiais teimavam em não deixá-la entrar. Durante 30 minutos várias pessoas tentaram convencer os policiais de que a deixassem entrar e, para alívio da jovem, a sua entrada foi permitida.

Visita

O Papa Francisco chegou na noite de segunda-feira (15) ao Chile e visita ao país durou três dias. O Papa foi recebido pela presidente Michelle Bachelet e três crianças, que lhe entregaram flores, assim como membros da Igreja e outras autoridades. Durante sua permanência no Chile, ele se reuniu com autoridades, comunidades indígenas, religiosos e pessoas carentes, em Santiago, Temuco (600 km ao sul de Santiago) e Iquique (1.800 km ao norte), onde celebrou missas. Autoridades do governo chileno estimam que 500 mil pessoas participaram da missa realizada na a terça-feira (16) em Santiago.

Texto: Silmara Andrade

Foto: Divulgação

Galeria de Fotos