facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 1050 - Já nas bancas!
26/01/2018

Benefícios incalculáveis

Benefícios incalculáveis

Depois de um longo tempo de espera, a região começa a colher os frutos da conquista obtida no ano passado com a nova Unidade do Serviço de Oncologia Clínica Adicional do Hospital Erasto Gaertner, localizada em Irati.

Muitos pacientes que estavam sendo tratados em Curitiba, estão desde o ano passado usufruindo dos atendimentos ambulatoriais, como manutenção do catter e retiradas de bombinhas.

Na última semana, foi a vez dos novos pacientes começarem a se consultar na unidade de Irati. As consultas iniciadas no dia 15 são chamadas de primeiro atendimento, onde o médico começa a fazer uma triagem, vendo se o paciente possui ou não câncer e também ver qual a especialidade do paciente.

Em uma semana, já 22 atendimentos e a expectativa é que em menos de um mês mais de 60 novos pacientes sejam atendidos.

Apesar de o número seralto e preocupante, o fato deste primeiro atendimento ser feito em Irati, um local perto de casa, é um alívio para quem precisa procurar este serviço na saúde pública.

Para os pacientes, não ter que viajar e perder um dia na estrada para fazer uma simples consulta é algo que ameniza o sofrimento. Mas mais do que isso, o atendimento perto de casa proporciona a participação maior da família, que consegue acompanhar com mais empenho a jornada da luta contra o câncer.

Vale ressaltar que os novos casos ajudarão ao Hospital Erasto Gaertner a mapear o que ocorre na região de abrangência da 4ª Regional de Saúde, que possui incidência de câncer maior que em outros locais. Essa pesquisa, que ainda não tem previsão de conclusão, ajudará futuramente em campanhas de prevenção que poderão se direcionar exatamente onde está o problema.

Os benefícios da unidade em Irati ainda são incalculáveis e com certeza somente nas próximas décadas será possível mensurar o resultado. No entanto, o que é possível ter certeza de imediato é que o investimento em saúde pública é um investimento em qualidade de vida e um investimento para o futuro da região. 

Texto:Karin Franco/Hoje Centro Sul