facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 1010 - Já nas bancas!
20/11/2017

Editorial - Cuide de quem você ama

Editorial - Cuide de quem você ama

É preciso zelar pela saúde. Tanto pela saúde individual como pela saúde pública. Atitudes simples, conhecidas por todos e deixadas de lado por muitos acabam fazendo com a situação chegue ao estágio atual, de infestação, que é aquela onde existem muitos focos do mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya.

A situação aflige Irati e Imbituva, os dois únicos municípios do Centro Sul que, segundo a 4ª Regional de Saúde, tem focos do aedes aegypti. Com os focos, de uma hora para outra uma pessoa contaminada em outros municípios, do Paraná ou de outros estados, pode vir para Irati ou Imbituva, ser picado pelo mosquito aedes aegypti e dar início a um ciclo complicado de transmissão de doenças, de morte, de má-formação de bebês. Surge a epidemia. 

De acordo com os profissionais da área de saúde, uma epidemia faz com que a rede pública de atenção à saúde fique sobrecarregada e muitos casos são deixados para trás para dar atenção exclusivamente à dengue. Junto, aparecem o pânico entre as pessoas e a fragilidade do sistema de saúde que não está preparado para este tipo de guerra 24 horas. É muito desgaste e muito dinheiro que tem de ser aplicado em leitos hospitalares e medicamentos.

Evitar os focos do aedes aegypti para evitar as doenças é o melhor caminho a seguir. Em Irati, nos últimos anos não foi dada a atenção devida ao tema, apesar dos alertas emitidos pelos órgãos competentes. A contratação dos agentes de endemias é recente e ainda não foi capaz de levar à mudança da realidade no município.

Cabe aos agentes fiscalizar os imóveis e cobrar daqueles cidadãos que agem com desleixo quando ao acúmulo de lixo, seja em grande ou pequena quantidade, criando pontos em que a água parada é propícia para os focos do mosquito da dengue se desenvolverem. Fiscalizar é função essencial, cumprida pelos agentes, entretanto zelar pela saúde de seus familiares é função de todos.  Ter atenção e cuido para evitar os focos do aedes aegypti é fundamental e todos precisam agir preventivamente.

A participação da população é imprescindível para que o combate seja eficaz. É função dos cidadãos fazer a limpeza de vasos, copos, piscinas etc. Evitar que qualquer objeto que acumule água fique exposto.

Os agentes orientam e se o foco não é eliminado, em uma segunda visita a residência o morador tem que assinar um termo de ciência. A partir da terceira vez o proprietário do imóvel é intimado. Caso não cumpra o que lhe é determinado, recebe uma advertência e pode ser multado. De acordo com o coordenador da equipe de agentes de endemias, em Irati já houve casos de se chegar até a advertência.

Apesar destes casos extremos, a conscientização de que agir preventivamente é zelar pela saúde de todos aqueles que você ama é a melhor opção.  Evite a formação dos focos do aedes aegypti.