facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 1003 - Já nas bancas!
06/11/2017

Sonho de ter o tratamento de câncer mais perto de casa vira realidade com a inauguração da Unidade do Erasto Gaertner em Irati

Sonho de ter o tratamento de câncer mais perto de casa vira realidade com a inauguração da Unidade do Erasto Gaertner em Irati

Na manhã de sexta-feira, dia 27 de outubro, Irati ganhou a primeira extensão no interior do Paraná do Serviço de Oncologia Clínica Adicional do Hospital Erasto Gaertner. A unidade foi inaugurada pelo prefeito Jorge Derbli e pelo governador Beto Richa, com a presença de grande público, vários deputados estaduais e federais, prefeitos da região Centro Sul e integrantes da Rede Feminina de Combate ao Câncer e da Associação do Núcleo de Apoio ao Portador de Câncer de Irati (Anapci).  Localizada na antiga sede da Anapci, a unidade oferecerá tratamento à pacientes de câncer da região que antes precisavam se deslocar até Curitiba para obteratendimento.

O superintendente do Erasto Gaertner, Adriano Lago, explica que a unidade de Irati é parte de um projeto que pretende aproximar o hospital dos pacientes do interior, o Erasto Mais Perto De Você. “Irati está sendo privilegiado com a nossa primeira filial e a oportunidade de a gente ter toda a estrutura da nossa instituição no interior, mais próximo das famílias, mais próximo dos pacientes que precisam da nossa estrutura”, relatou.

O governador Beto Richa confirmou o repasse de R$ 200 mil por mês pelo Governo do Estado para a manutenção do serviço, que atenderá pacientes de todos os municípios da região Centro Sul. “Esta unidade que vai prestar um serviço de muita qualidade na área de atendimento e tratamento oncológico para Irati e região”, disse. Ele frisou que o ambulatório vai propiciar mais conforto aos pacientes, na medida que evita deslocamentos constantes a Curitiba.

Richa ressaltou que o Hospital Erasto Gaertner é uma referência no tratamento de câncer e mantém várias parcerias com o governo estadual. “O Estado é parceiro do Erasto Gaertner, inclusive na construção de uma área para a oncopediatria, em Curitiba”, disse.

O governador ainda ressaltou os investimentos em saúde realizados. “Temos mais de R$ 15 bilhões de investimentos na área de saúde ao longo do nosso mandato, menos de sete anos ainda. Nos dez anos que nos antecederam foram investidos cerca de R$ 6 bilhões e meio, então para provar que a saúde pública é levada a sério neste estado”, destacou.

Além do apoio estadual, a unidade do Erasto em Irati receberá recursos dos municípios que integram a 4ª Regional de Saúde, teve a cessão do prédio pela Anapci e, no ano passado,  recebeu a doação de R$ 330 mil de recursos devolvidos ao Executivo pela Câmara Municipal de Irati – o que ajudou na aquisição dos equipamentos.

Rede Feminina de Combate ao Câncer

Durante a solenidade ocorreu a posse da direção da Rede Feminina de Combate ao Câncer de Irati, formada por voluntárias que deverão ajudar no atendimento e no trabalho humanizado.

A posse contou com a participação da presidente da Rede Feminina de Curitiba, presidente estadual e vice- presidente nacional, Cleide Anastácio Rando.

Ela deu posse à nova diretoria formada pela presidente Ieda Regina SchimaleskyWaydzik, vice-presidente Karla Osinski Ferreira, primeira secretária Fátima de Jesus Straub de Castro, secretária adjuntaJanete Zucco, tesoureira Marta Inês Marcolla Vicente e a tesoureira adjunta, Luciane Tucholski.

Presenças

Um grande público acompanhou a solenidade de inauguração da unidade em Irati. Entre as autoridades, além do governador Beto Richa, também estiveram presentes asecretária de Estado da Família e Desenvolvimento Social, Fernanda Richa,o secretário de Estado da Saúde, Michele Caputo Neto,o secretário de Estado da Justiça, Trabalho e Direitos Humanos, Artagão Júnior,o secretário de Estado para Assuntos Estratégicos, Edgar Bueno e o secretário-chefe da Casa Civil do Paraná, Valdir Rossoni.

A deputada federal Leandre Dal Ponte, incentivadora da vinda do hospital também esteve presente, junto com o deputado federal Sandro Alex. A solenidade ainda contou com a presença dos deputados estaduais Alexandre Curi, Nelson Justus e Márcio Paulik.

Também estiveram presentes o superintendente do Hospital Erasto Gaertner, Adriano Lago, e a presidente da Rede Feminina de Combate ao Câncer, Cleide Rando, além do membro da capelania do Hospital Erasto Gaertner, Padre Elias, e a presidente da Anapci, Teresinha Miranda Veres.

O ex-governador e vice-presidente e diretor administrativo do BRDE, Orlando Pessuti, o diretor de projetos da Cohapar, Orlando Agulham Junior, e a diretora da 4ª Regional de Saúde, Jussara Aparecida Kublinski, também acompanharam a solenidade.

Da região, estiveram presentes o presidente da Amcespar e prefeito de Inácio Martins, Junior Benato, além do prefeito de Irati, Jorge Derbli, acompanhado da esposa Maria de Fátima Derbli, o vice-prefeito Amilton Komnitski, e o presidente da Câmara, Hélio de Mello. Também acompanharam a inauguração o prefeito de Imbituva e presidente do Consórcio Intermunicipal de Saúde, Bertoldo Rover, além dos prefeitos de Fernandes Pinheiro, Cleonice Schuck, de Rebouças, Luiz Zak, de Rio Azul, Rodrigo Solda, de Mallet, Moacir Szinvelski, de Teixeira Soares, Lula Thomaz, e de Prudentópolis, Adelmo Klosowski.

A inauguração foi acompanhada também pelo provedor da Santa Casa de Irati, Ladislao Obrzut, pelo presidente da Aciai, Oscar Muchau, pelo comandante da 8ª Companhia Independente da Polícia Militar, Major Joas Lins, pelo delegado de Polícia Civil, Paulo Cesar Ribeiro, pela presidente do Provopar Municipal Maria Nilda Girardi, e por diversos convidados, comunidade, representantes da região e imprensa.

Como será o funcionamento da unidade de Irati

A unidade em Irati deverá atender pacientes pertencentes à 4ª Regional de Saúde do Estado do Paraná, composta por nove municípios: Fernandes Pinheiro, Guamiranga, Imbituva, Inácio Martins, Irati, Mallet, Rebouças, Rio Azul e Teixeira Soares.

Neste primeiro momento, os pacientes ainda serão avaliados para saber quais casos serão tratados em Irati e quais necessitarão atendimento em Curitiba. A avaliação levará em conta o tratamento de cada paciente e as suas necessidades. “Nos dois primeiros meses, realizaremos avaliações para pacientes novos (de acordo com a demanda de cada município) e, gradativamente, com revisão de caso a caso, seguindo protocolos médicos, os pacientes em tratamento em Curitiba. Para os que estão em tratamento, estão sendo avaliados todos os prontuários e entraremos em contato, comunicando da mudança do local”, disse osuperintende Adriano Lago.

Em Irati, o tratamento oferecido é para casos que não necessitam de tanta complexidade. Pacientes que necessitem de serviços como acompanhamento clínico, infusões de quimioterápicos e uso de quimioterápicos orais, por exemplo, poderão receber tratamento em Irati. Já os que necessitam de radioterapia, por exemplo, precisam continuar indo à Curitiba.Aqueles pacientes que conseguem ter tratamento ambulatorial desde que tenha protocolo de segurança a gente vai atender nesta instituição”, relata Adriano.

O início do tratamento em Irati dependerá dessas avaliações. “Acreditamos que agora na primeira quinzena de novembro já estaremos atendendo esses pacientes em avaliação e que têm indicação e, principalmente, segurança de estarem sendo atendidos em Irati’, disse.

Além disso, a unidade também espera mais uma etapa para o atendimento imediato. “Teremos atendimento imediato quando finalizada a etapa de Cadastramento Nacional de Estabelecimento de Saúde (CNES). A partir deste momento, podemos abrir as agendas criadas na Unidade de Irati e dar início aos atendimentos”, explica.

A unidade em Irati está montada com dois consultórios médicos, sala de emergência, posto de enfermagem, farmácia, sala de treinamento e três salas para infusão dequimioterapia/medicamentos com capacidade para até 20 sessões por dia. 

Além de tratamentos dentro da saúde pública, a unidade em Irati poderá encaminhar pacientes para Curitiba. “A parceria com Governo do Estado e municípios é para tratamento SUS, mas, reforçando que o HEG atende privados (particular e convênios), neste caso, o paciente poderá ser agendado e encaminhado pela Unidade Irati”, disse.

Os pacientes deverão receber um atendimento feito pelos médicos do Hospital Erasto Gaertner e também por uma equipe formada portécnico em enfermagem, enfermeiro, assistente administrativo, higienizador e controlador de acesso. “Todos contarão com apoio e o acompanhamento da matriz em Curitiba, de forma presencial, por vídeo e telefone. Inicialmente, profissionais que residem em Irati e região terão preferência, a fim de criar o vínculo da estrutura com os pacientes e a sociedade. Todos terão treinamento intensivo em Curitiba e acompanhamento por parte da direção e da Superintendência, que devem criar agendas mensais para estarem presentes na Unidade Irati”, explica Lago.

A unidade em Irati também deverá realizar pesquisas na região. No entanto, o superintendente explica que é necessário ainda estruturar essa questão. “Isso será gerenciado pelo CEPEP (Centro para Projetos de Ensino e Pesquisa), que faz parte da Liga Paranaense de Combate ao Câncer. Cada pesquisa terá seus critérios de elegibilidade para que indicados à pesquisa possam participar dos trabalhos. Além disso, esta unidade pode auxiliar e desenvolver projetos de iniciativa do investigador, isto é, poderemos ter pesquisas desenvolvidas por Irati. Sempre, com aprovação do CEP (Comitê de Ética em Pesquisa)”, relata.

Parceria com instituto de Ponta Grossa

Neste mês foi anunciada a criação do Instituto do Câncer dos Campos Gerais, que irá funcionar dentro do Hospital Universitário Regional em Ponta Grossa. Segundo o deputado estadual Márcio Pauliki uma parceria entre o instituto e o Erasto em Irati está sendo negociada. “É uma parceria com o nosso braço do Erasto em Irati que vai fazer a quimioterapia de baixa e média complexidade, mas em Ponta Grossa nós estamos colocando o hospital dos Campos Gerais, a hematologia, os tratamentos de leucemia e linfomas, então, a quimioterapia de leucemia e linfomas poderão ser feitas em Ponta Grossa”, explica.

Segundo Adriano Lago, ainda não há nada oficial sobre a parceria. “Não temos nada oficial neste momento. O que podemos afirmar que nossa instituição sempre estará à disposição para criar novas parcerias e projetos que levem solução aos pacientes. Somos um hospital com 70 anos de história atuante em prevenção, diagnóstico, tratamento, ensino e pesquisa”, disse.

Números

Serão 2.600 consultas nos primeiros 12 meses

Aproximadamente 200 pacientes da região realizam tratamento em Curitiba

3 salas de infusão de quimioterapia e medicamentos com capacidade para até 20 sessões por dia

Texto: Da Redação/Hoje Centro Sul

Fotos: Ciro Ivatiuk e Karin Franco

Galeria de Fotos