facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 1010 - Já nas bancas!
09/10/2017

Editorial - Retrato Agrícola

Editorial - Retrato Agrícola

Nesta primeira semana de outubro o país começa a realizar o Censo Agropecuário 2017 através do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O objetivo é retratar o Brasil Rural, trazendo informações de como ele está atualmente e o que de fato é feito nas partes mais longínquas do país.

O trabalho será feito por quase 19 mil recenseadores que deverão percorrer as propriedades que possuem algum tipo de atividade rural, seja para a venda ou sustentabilidade.

Nesta primeira semana, as equipes estão percorrendo os lugares mais próximos do centro urbano. Entretanto, ao longo do tempo as dificuldades devem aparecer já que são estimados cerca de 5,3 milhões de estabelecimentos a serem recenseados. Este não é um número exato, pois pode aumentar ou diminuir com a atualização dos recenseadores.

Com um orçamento de R$ 770,3 milhões, o IBGE teve que planejar muito bem as ações. A publicidade, parte fundamental para que os agricultores saibam o que está acontecendo e forneçam as informações para os recenseadores, foi cortada. Para contornar a situação, o instituto criou um site especial do Censo Agropecuário dando informação. No site pede que a sociedade divulgue as informações através das redes sociais, empresas, instituições e imprensa. Mesmo assim, alguns agricultores acabam não sabendo que o Censo está ocorrendo e acabam tomando conhecimento pelo famoso boca a boca com conversas com os vizinhos.

Apesar disso, os recrutadores estão conseguindo realizar o seu trabalho na região, especialmente por causa da cooperação dos agricultores que estão os recebendo bem. E isso é fundamental para que as informações sejam atualizadas.

Os dados coletados até fevereiro de 2018 ajudarão diversos setores a entender como está a agropecuária brasileira e como melhorar a situação do campo. Uma das expectativas é quanto à agricultura familiar que deverá ter um destaque nos resultados, especialmente porque nesta edição, os estabelecimentos agropecuários não terão área mínima, abrangendo assim, muito agricultores pequenos.

O que é esperado é que as informações possam mostrar um Brasil rural que boa parte da população já conhece. Um Brasil que possui muita diversidade de fauna e flora, muitos pequenos agricultores movendo essa importante parte da economia do país, mas principalmente possa mostrar as dificuldades que o campo ainda apresenta. De posse dessas informações, o poder público como o poder privado terão mais ferramentas para trazer soluções para o campo.