facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 1010 - Já nas bancas!
15/09/2017

Estradas rurais em Irati seguem cronograma de manutenção

Estradas rurais em Irati seguem cronograma de manutenção

A Secretaria de Serviços Rurais mantém cronograma de manutenção de estradas no interior de Irati, atendendo às reivindicações das comunidades e de produtores. Mesmo com dificuldades ocasionadas por manutenção em maquinários e caminhões, está sendo possível seguir as planilhas de obras necessárias na malha viária rural.

Semana passada foram efetuados reparos gerais na estrada do Pinho a São Miguel, com patrolamento em toda a região, e cascalhamento em vários pontos críticos. Na mesma região entre Pinho e São Miguel, outra equipe está trabalhando esta semana na obra de um bueiro que estava danificado.

Também prosseguem os serviços na estrada de Linha B a Invernadinha, que dá acesso à BR-277. Em razão do grande volume de trabalho exigido nesta estrada, a equipe deverá prosseguir trabalhando em torno mais de 30 dias, para concluir as melhorias necessárias. Após concluída esta região a equipe será direcionada para Serra do Papuã, onde trabalharão com patrolamento e cascalhamento.

Outra frente de trabalho continua operando em Pinheiro Machado, solucionando atoleiros em trechos da estrada. Pelo cronograma da secretaria, a próxima incumbência desta equipe será providenciar reparos na estrada de linha E, na serra que divide com o município de Inácio Martins, descendo para Linha B de Itapará. Após término dos serviços nesta região, a equipe seguirá para a estrada principal de Itapará a Faxinal dos Antonios, saindo em Água Clara. Em seguida, a mesma equipe se deslocará para a estrada de Barra do Gavião.

Ainda esta semana há uma patrola trabalhando na região de Guamirim, na estrada das sete curvas, que fica antes da linha férrea, à direita, no sentido de quem trafega a Inácio Martins. Este é outro ponto do interior do município que vem demandando bastante tempo de trabalho.

Compreensão

A Secretaria de Serviços Rurais conta com a compreensão das comunidades rurais, pois muitas das estradas que vem sendo adequadas não recebiam manutenção há anos e o estado de degradação era muito grande.

Além disso, há a questão de conserto de máquinas de grande porte, e mesmo serviços de manutenção e substituição de peças, que são exigência para a segurança e eficiência dos serviços, mas que acabam prejudicando o andamento dos trabalhos.

O secretário de Serviços Rurais, Anselmo Stadykoski, explica que por mais que o setor tenha aprimorado mais eficiência ao ritmo de trabalho e ao uso dos maquinários, há equipamentos que já possuem muito tempo de operação e, por isso, o desgaste é enorme e nem sempre há peças para rápida reposição, em caso de quebra.

“Só para exemplificar, temos uma retroescavadeira em bom estado e duas mais antigas, sendo que uma delas está em manutenção, e temos quatro motoniveladoras, sendo que uma está em oficina aguardando peças há alguns meses”, exemplifica o secretário.

Texto/Fotos: Assessoria PMI

Galeria de Fotos