facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 1010 - Já nas bancas!
15/09/2017

Empresários apostam em evento semanal de food trucks

O Food Truck da Cidadania iniciou em Irati na última semana com a proposta de reunir os comerciantes locais todas as sextas-feiras na Rua da Cidadania

Empresários apostam em evento semanal de food trucks

Iniciou na última sexta-feira (08) o Food Truck da Cidadania em Irati. O evento reúne food trucks do município em um evento permanente toda a sexta-feira a partir das 18 horas na Rua da Cidadania, com apoio da prefeitura de Irati.

O primeiro dia de evento foi de expectativa para os empresários que acreditam que esta é uma oportunidade do município ter uma atração diferente. “A expectativa é das melhores possíveis, para ver se o povo gosta disso, se a gente traz uma coisa diferente todas as sextas e movimenta a economia”, comenta o proprietário do Food Truck Casero Hamburguer, Vinicius Jushok.

O proprietário dos food trucks Quinko Gourmet Foods e Quinko Amo Churros Gourmet, Sandro Bataglin, destaca que foi um dos que pedia há algum tempo um evento como este, especialmente para valorizar a Rua da Cidadania, que não tinha muitos eventos, e valorizar também os empreendedores de Irati. “Eu achava que isso era desperdício. O povo de Irati merece pelo menos um dia na semana de descontração. Achei a ideia maravilhosa. Inclusive eu briguei pelos food trucks locais, achei um absurdo que viessem pessoas de fora  levar o nosso dinheiro”, disse.

De acordo com diretor administrativo da Secretaria de Cultura de Irati, Dario Araújo Neto, todos os food trucks que participam do evento precisam ter um alvará de Irati. “O regulamento foi criado com uma única e principal ideia de que só podem estar aqui comerciantes que tiverem alvará de Irati para que, não querendo menosprezar os comerciantes de fora, mas nosso dinheiro tem que ficar aqui, nosso dinheiro tem girar na nossa própria economia”, destaca.

O evento também trouxe atrações culturais, como um Duelo de Rimas e apresentação da dupla sertaneja Pedro e Magalzinho. Além disso, o artesanato também foi representado no evento, onde uma banca reuniu parte dos trabalhos produzidos no município. Para a presidente da Feira Cultural de Irati, Rosângela de Souza Gonçalves, é necessário apoio da população. “Eu achei ótima a ideia. Tomara que o pessoal venha dar esse apoio porque precisa, é um produto nosso, são os comerciantes de Irati. Acho que está mais do que na hora do pessoal vir dar esse apoio”, relata.

Para um dos sócios da Prosit, Elson Glinski, o evento pode ganhar força ao longo do mês. “A expectativa é boa. Acredito que no decorrer do mês é que vai divulgar. Tem que vir para incentivar”, destaca.

Baixa adesão

No entanto, o feriadão e diversos outros eventos acabaram fazendo com que houvesse baixa adesão ao evento no primeiro dia, que reuniu em sua maior parte adolescentes.

Segundo Dario, esse é um início e o evento pode crescer com o tempo. “A ideia é embrionária. Nós queremos que a rua seja inteiramente ocupada pelo comércio iratiense para proteger o nosso comerciante local. Incentivamos os jovens, os músicos locais, os comerciantes locais, a trazerem a família para cá. É um ambiente familiar, aos poucos vamos crescendo, temos condições de investir, de fazer isso aqui crescer, ser mais uma opção para a família iratiense”, disse.

Texto/Fotos: Karin Franco/Hoje Centro Sul

Galeria de Fotos