facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 991 - Já nas bancas!
04/09/2017

Editorial - Tecnologia e qualidade

Editorial - Tecnologia e qualidade

Novas perspectivas educacionais começam a se definir para a região. O Instituto Federal do Paraná (IFPR) Campus Irati está buscando ampliar as alternativas de cursos superiores gratuitos que oferece. Depois do curso de graduação em  Informática, agora o curso de Agronomia pretende ser implantado pela instituição até 2019. O objetivo focar o trabalho na realidade regional, que é predominantemente agrícola.

O primeiro passo, que foi a apresentação do Curso Superior de Agronomia com ênfase em Agroecologia, foi dado nesta semana.  A apresentação aconteceu durante uma audiência pública e a ideia da nova oportunidade de formação foi muito bem aceita por todos os participantes.

De modo geral, a expectativa é que os jovens da região que tem suas raízes familiares na agropecuária possam se interessar em estudar para buscar o desenvolvimento das propriedades de seus pais, tios, avôs. Também permitir àqueles que, mesmo morando na área urbana, mas se identificam com o setor agrícola,  possam estudar em Irati para, depois, poderem atuar no mercado nesse setor, que é muito promissor.

Em tempos de crise econômica, por exemplo, os indicadores nacionais no país foram segurados pelo setor agrícola, que continuou exportando.  Apesar da realidade da grande maioria das propriedades rurais do Centro Sul não ser ligada às commodities, à produção em grande escala, mas sim à agricultura familiar, a comercialização local e regional, da mesma forma que no contexto do país, a agricultura também é de extrema importância para a geração de renda.

A produção agropecuária movimenta a economia dos pequenos municípios. Muitos deles tem a agricultura como principal setor. Neste contexto, o curso de Agronomia com ênfase em Agroecologia que o IFPR pretende oferecer é um diferencial significativo. O conhecimento  é cada vez mais imprescindível em todos os segmentos e na agropecuária não é diferente. Tecnologias eficientes agregam qualidade e, consequentemente, valor à produção. E é isso que se espera  com a criação do curso.