facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 1003 - Já nas bancas!
25/08/2017

Metade dos eleitores da região Centro Sul fez recadastramento biométrico

Mais de 91 mil eleitores já revisaram, transferiram ou tiraram título de eleitor na região

Metade dos eleitores da região Centro Sul fez recadastramento biométrico

Segundo dados levantados junto aos cartórios eleitorais da região, a estimativa é que a metade dos mais de 181 mil eleitores da região Centro Sul já realizou o recadastramento biométrico.  Mais de 91 mil eleitores já revisaram, transferiram ou tiraram título de eleitor na região, fazendo junto a biometria.

O município de Mallet é o maior destaque da região, já tendo ultrapassado a meta de 80% estipulada pelo Tribunal Regional Eleitora do Paraná (TRE-PR). “Começamos antes em Mallet”, disse o chefe do Cartório Eleitoral de Mallet, Claudionir Viana. Aproximadamente mais de 9 mil pessoas dos mais de 10 mil eleitores do município realizaram o recadastramento. Segundo Claudionir, apesar de ter iniciado o cadastro obrigatório apenas em 3 de agosto, Mallet já havia adiantado boa parte do recadastramento durante o ano.

O cartório de Mallet também é responsável pelo cadastramento dos eleitores de Paulo Frontin que somam mais 5.656 eleitores. Até o momento 54,4% foram recadastrados. Segundo o chefe do cartório estão sendo atendidas 100 pessoas por dia nos sete guichês disponíveis. A expectativa é que os eleitores sejam recadastrados antes de terminar o prazo final, marcado para 29 de setembro. “Devemos terminar antes de setembro”, disse.

Já o Cartório Eleitoral de Irati é o que possui mais eleitores, com mais de 52 mil pessoas para realizar o recadastramento biométrico. Segundo a chefe do cartório, Daisy Cler Filla De Oliveira, aproximadamente 40% dos eleitores de Irati e Inácio Martins já atualizou os dados. “O comparecimento tem passado dos 400 por dia. Acredito que é um número bom de pessoas, mas ainda precisamos que venha um pouco mais para não sobrecarregar na última hora”, disse.

Apesar dos eleitores terem até dezembro para realizar o recadastramento em Irati, a orientação é que as pessoas tentem recadastrar antes para evitar as filas. Atualmente, o tempo de espera em Irati tem sido de 30 minutos a 40 minutos. Por isso, a indicação é que se faça o agendamento pelo site do Tribunal Regional Eleitoral, já que o tempo de espera é menor nesses casos. “Quem agenda, o atendimento é no máximo em 15 minutos”, explica.

A preocupação também está com os eleitores de Inácio Martins que devem se recadastrar em Irati. Como há dificuldade de locomoção, um posto avançado de atendimento deverá ser montado em Inácio Martins durante 30 dias, a partir da primeira quinzena de outubro, para realizar o atendimento. A prefeitura do município deverá ceder o local e os funcionários, e uma equipe de Irati deverá ir ao local para ajudar na coordenação. Os equipamentos serão fornecidos pelo TRE-PR. “Depois dos 30 dias, se a população não for lá, eu acho que vão vir pra cá”, disse.

No Cartório Eleitoral de Rebouças, responsável também por Rio Azul, metade dos eleitores já se recadastrou. Em Rebouças, dos 12.045 eleitores, 6.877 já recadastraram. Em Rio Azul, dos 10.902 eleitores, 6.596 eleitores fizeram o recadastramento.

O cartório antecipou o processo de recadastramento em fevereiro e com isso conseguiu alcançar um bom número antes iniciar o período obrigatório, em 3 de agosto, O prazo termina em 20 de outubro. “No dia em que começou o mutirão já tínhamos metade do eleitorado”, disse o chefe do cartório eleitoral, Marco Aurélio Canever.

Para os eleitores de Rio Azul, a prefeitura está disponibilizando um ônibus que leva um grupo de 20 a 30 pessoas para realizar o recadastramento. É necessário agendar na recepção da prefeitura de Rio Azul para conseguir o transporte, que é realizado somente à tarde.

Marco revela que é esperado que se diminua o número de eleitores no município por causa da mudança de moradores da cidade. “Temos uma expectativa não venha todo o eleitorado. É normal que em cidades menores em razão da imigração populacional, o número de eleitores diminua”, disse.

Apesar da boa movimentação e dos números positivos, o juiz eleitoral de Rebouças, James Byron, destaca que é imprescindível que as pessoas façam o recadastramento o quanto antes. “Quem deixar para os últimos dias vai enfrentar filas muito grandes e estamos próximos do dia 20 de outubro”, disse.

Nos municípios de Teixeira Soares e Fernandes Pinheiro faltam apenas 35% do eleitorado para realizar o recadastramento. Ao todo, são 13.330 eleitores, sendo que mais de 4 mil pessoas ainda precisam se recadastrar.

Segundo o chefe do Cartório Eleitoral de Teixeira Soares, Arlei Adilson Braun, é esperado que todos se recadastrem até o dia 6 de setembro. “Aqui está dentro do que foi previsto, ainda falta uns 35% do eleitorado. Acredito que até o final do prazo irá fechar”, disse. Diariamente são atendidas nos oito guichês mais de 200 pessoas.

No Cartório Eleitoral de Imbituva, responsável também pelos municípios de Ivaí e Guamiranga, o recadastramento iniciou em 10 de julho. Até o momento, mais de 19 mil eleitores dos 38.600 se recadastraram. “Estamos com boa procura, com uma média de 480 atendimentos. É um bom movimento, apesar de que nesta semana começamos a sentir uma diminuição da procura. Mas isso é normal, no primeiro mês vem, na metade dá uma caída e vai bastante no final”, disse a chefe do cartório eleitoral Márcia Bergonsi. O prazo final é no dia 10 de novembro.

Segundo ela, o atendimento está sendo ágil. “O atendimento está sendo ágil, tanto para os que agendaram, que é atendimento com hora marcada, a gente procura não fazer com que a pessoa espere mais que 20 minutos. Às vezes leva mais por causa da triagem e conferência dos documentos do que a triagem em si. Mas quem não agendou a gente está atendendo com agilidade também”, disse.

Em Prudentópolis, 40% dos 38.200 eleitores já realizaram o recadastramento. Com prazo final também para o dia 10 de novembro, a chefe do Cartório Eleitoral de Prudentópolis, Adrieli Pontarolo, destacou que grande parte dos atendimentos ocorreu porque houve campanhas com a população. “A gente fez o agendamento na Fenafep, agendamos muitos atendimentos lá, agendamos na “Justiça Nos Bairros”. A gente está tentando fazer coisas para chamar o pessoal”, disse.

A média de atendimentos por dia tem sido de 400 pessoas. Segundo Adrieli, quem realiza o agendamento online é atendido com mais rapidez. “A procura maior está sendo de manhã, então de manhã a pessoa espera um pouquinho porque vem bastante gente do interior. A tarde está bastante tranquilo, à tarde é rápido, uns 20 minutos, no máximo 30 minutos. Quem agenda é atendido na hora”, explica.

Ela ainda destaca que é importante que as pessoas que agendam e não conseguem comparecer naquele momento marcado, avisem para que o horário seja cancelado e disponibilizado para outra pessoa. “Se ligar, a gente cancela e abre de novo aquele horário para quem quer agendar”, disse.

Visita

Para verificar como estão os serviços de recadastramento biométrico, a Corregedoria do Tribunal Regional Eleitoral do Paraná realizou nesta semana diversas inspeções nos Fóruns Eleitorais da região Centro-Sul. Os fóruns de Mallet, Rebouças, Irati e Teixeira Soares foram alguns dos que receberam a visita do desembargador Luiz Taro Oyama juntamente com sua equipe.

Durante as inspeções foram realizadas reuniões com os servidores e funcionários de cada Fórum Eleitoral. O desembargador também se reuniu com os prefeitos dos municípios da região para verificar o apoio que as prefeituras estão dando ao recadastramento.

De acordo com o corregedor regional eleitoral, desembargador Luiz Taro Oyama, a realização da biometria está dentro do esperado na região. “A avaliação que nós temos feito é que a revisão está fluindo corretamente, a equipe de correção está apontando algumas desconformidades, mas sempre para melhorar o trabalho desta revisão biométrica. Garantimos que os municípios tenham prestado o apoio necessário para essa revisão, sem os quais não teríamos tido êxito”, disse.

O corregedor destaca que é importante que a população faça o recadastramento, já que os dados servirão futuramente de base para a realização do documento único. “O eleitor vem ao Fórum Eleitoral para fazer o recadastramento, ou seja, a revisão de todos os dados pessoais, é feita a coleta digital das assinaturas, fotografia e das digitais. É importante esse cadastramento para dar segurança ao processo eleitoral e também é mais importante porque o banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral servirá de base de dados daquele Documento Nacional Individual que começará em 2021/22, onde em um único documento conterá outros documentos”, esclarece.

O juiz eleitoral de Rebouças, James Byron, que participou da reunião no município, também enfatizou que o recadastramento dará segurança ao processo eleitoral. “Temos um sistema de eleição completamente confiável. Ninguém vai poder votar pelo outro. Vai ser 100% confiável. Não vai ter nenhuma margem de manipulação do voto. E também vai reduzir o tempo das filas de votação porque a pessoa coloca o dedo e pronto”, disse.

O corregedor ainda destacou que é necessário que a população vá o quanto antes realizar o recadastramento. “Já houve zonas eleitorais em que no final chegou a mil pessoas por dia, podendo ficar até quatro horas ou mais na espera. A melhor sistemática é o agendamento. É simples, é só entrar no site do TRE e fazer o agendamento pelo celular ou computador”, disse.

Ele também destaca que o recadastramento é obrigatório e quem não o fizer terá o título cancelado. Dentre as consequências está a suspensão do CPF que poderá trazer problemas a quem precisa realizar transações bancárias ou receber benefícios.

O desembargador Luiz Taro Oyama também enfatizou que é importante a participação das pessoas, mesmo que haja algo desanimador. “Com relação às pessoas que estão desanimadas com a política ou não gostam de participar da atividade política eu posso dizer que cada um pelo menos pratica um ou mais atos de política ou cidadania. O simples fato de cumprimentar outra pessoa, a forma como se relaciona com a família é uma política de bem viver, a forma como você se relaciona com os membros da comunidade é a política da boa vizinhança. Se você deixar de exercer esse direito e dever você estará deixando que outra pessoa vote no seu lugar e escolha os representantes que vai gerar os destinos do município, estado e país”, finalizou.

Fechamento de Zonas Eleitorais

A portaria nº 372/17 do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) determinou que houvesse uma espécie de rezoneamento eleitoral, onde zonas eleitorais que não tivessem um mínimo de eleitores fossem fechadas. Segundo o desembargador Luiz Taro Oyama isso traria conseqüências negativas para a região. “Sabemos que onde há uma zona eleitoral, mesmo que tenha o mínimo, o afastamento da Justiça Eleitoral, do servidor, do promotor e do juiz eleitoral dificultará o acesso não só dos cidadãos, mas também dos candidatos e a Justiça Eleitoral foi criada justamente para coibir essa compra de votos, corrupção e crimes eleitores”, disse.

“Na segunda-feira (16) baixamos a resolução pelo Tribunal Regional Eleitoral procurando manter todos os fóruns eleitorais onde havia só uma zona, e diminuímos aquelas que têm mais de uma zona, pois onde um lugar onde há cinco zonas eleitorais, diminuindo uma ou duas, não há o prejuízo para cidadãos que necessitam”, disse.

Texto: Karin Franco/Hoje Centro Sul

Fotos: Karin Franco e Silmara Andrade/Hoje Centro Sul

Galeria de Fotos