facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 982
07/08/2017

Projeto da Unicentro financiado pelo CNPq vai investigar a realidade das escolas do campo

Projeto da Unicentro financiado pelo CNPq vai investigar a realidade das escolas do campo

A Unicentro teve oito propostas aprovadas pelo CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico), no último Edital Universal. Uma delas é o projeto “Ensino e aprendizagem de História: mapeamento de infraestrutura e das práticas com tecnologias educacionais nas escolas estaduais públicas localizadas no campo nos municípios de Prudentópolis e Araucária”, coordenado pelo professor Geyso Germinari, do Departamento de História.

Segundo o professor Geyso, o trabalho é importante para entender a realidade do ensino nas zonas rurais das duas cidades. “Vamos fazer o levantamento nas escolas localizadas no campo desses dois municípios e verificar as tecnologias educacionais, digitais e virtuais que, porventura, existam nessas escolas”, explica.

A escolha das cidades de Prudentópolis e Araucária se deu graças a parceria entre os Departamento de Pedagogia da Unicentro e da Universidade Tuiuti do Paraná, além da semelhança cultural dos imigrantes que povoam a área rural dessas duas cidades. “Cada instituição ficará responsável por uma cidade. A escolha delas se deu graças à proximidade dos campus com as localidades, mas também porque as cidades têm uma identidade em comum não muito conhecida, a de serem dois municípios com forte imigração polonesa e ucraniana”, comenta o professor.

De acordo com o professor Geyso, o foco da pesquisa, que é o ensino através da tecnologia, foi definido porque a disciplina de História é uma das que mais tende a ganhar com a utilização da tecnologia na sala de aula. “Todo esse acesso ao desenvolvimento tecnológico coloca a disciplina entre as que mais ganharam nas últimas décadas. Isso se dá por conta do acesso a uma gama de elementos culturais, de fontes históricas, até de visita a museus virtuais feitas pela internet”, clarifica o pesquisador.

O trabalho, além de identificar a qualidade do ensino nas localidades analisadas, também visa a formação dos profissionais do ensino. “A produção do conhecimento, um dos pilares da Universidade, é a pesquisa com a produção de documentos, conhecimento teórico, conhecimento empírico, iniciar os nossos alunos na investigação. Então, esses são os objetivos internos para a nossa comunidade acadêmica”, esclarece Geyso, que também informa que a verba obtida junto ao CNPq: R$15 mil que serão destinados para o custeio das viagens a campo – hospedagens e deslocamentos.

Texto/Foto: Assessoria Unicentro