facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 1010 - Já nas bancas!
07/08/2017

Editorial - Burocracia e o tratamento

Editorial - Burocracia e o tratamento

A maior parte da população brasileira sabe que a burocracia no país é algo que mais atrapalha do que ajuda a vida de todos que tentam realizar algo no país.

Na iniciativa privada, a burocracia é um dos itens que deixa investimentos mais lentos e atrapalha a expansão de negócios.

Mas quando falamos no poder público, especialmente quando há dinheiro público envolvido, a burocracia faz com que soluções para problemas locais demorem a serem colocados em prática.

A unidade avançada do Hospital Erasto Gaertner em Irati é uma dessas soluções que tem sido atingida pela burocracia.

É óbvio, e mais do que certo, que é necessário um cuidado maior e vigoroso quando falamos em verbas públicas. No entanto, enquanto os entes públicos de todas as esferas não entram em acordo e são atingidos por processos burocráticos, uma população regional sofre dia a dia tendo que ir até Curitiba para fazer exames, consultas e quimioterapias que poderiam ser realizadas em Irati.

Por exemplo, na quimioterapia, a expectativa é que 18 pessoas possam ser atendidas por dia na unidade avançada em Irati. Isso representaria cerca de 90 pessoas da região da Amcespar que não teriam que se deslocar semanalmente até Curitiba para fazer esse tratamento.

O deslocamento é algo difícil para essas pessoas, já que os tratamentos as deixam desabilitadas. Há pessoas que saem das suas casas às 4 horas da madrugada, vão à Curitiba para realizar um procedimento de três horas e conseguem voltar às suas casas somente após das 17 horas. No meio disso, os pacientes e os acompanhantes precisam de assistência como local de espera e alimentação durante o dia. Há situações em que os acompanhantes não possuem recursos para alimentação e precisam ser ajudados.

No entanto, mesmo com possibilidade dessa realidade mudar, a população regional está há cerca de um ano esperando para que esta solução comece funcionar. Enquanto isso, os agentes que estão negociando essa vinda são engolidos por uma burocracia que precisa esperar por publicações, autorizações e habilitações para iniciar o funcionamento.

Agora, a expectativa é que tudo esteja resolvido ainda este mês para que as pessoas sejam atendidas logo. O desejo é maior especialmente para quem precisa desses atendimentos e que não possuem tanto tempo para esperar que isso funcione.