facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 1003 - Já nas bancas!
07/07/2017

Editorial - Potencial da região

Editorial - Potencial da região

O primeiro semestre de 2017 trouxe a Irati diversas atrações nacionais, mesmo em uma época em que a economia ainda não se recuperou da crise que se instalou no país.

A crise econômica é na verdade um dos fatores para que Irati tenha se tornado uma das opções das produtoras de entretenimento. Com o mercado em grandes centros diminuindo os investimentos, as produtoras e os empresários de artistas famosos voltaram os seus olhos para o interior do país e começaram a investir.

Neste contexto, Irati se tornou uma boa opção e tem demonstrado que possui potencial para se tornar um espaço de grande investimento no setor do entretenimento. Fatores como estar próximo à Curitiba, estar no caminho entre grandes centros e ter profissionais qualificados são determinantes para o município ser esta opção.

No entanto, não só Irati, como toda a região Centro Sul tem um grande potencial na área de entretenimento e de turismo ainda a ser explorado. A geografia e os diversos festejos, sejam ligados à religião ou à diversidade cultural da região, são ótimos ingredientes para que estas áreas possam se convergir e se transformar em negócio.

Engana-se quem pensa que atrações voltadas ao entretenimento são algo frívolo. Atualmente essas atrações são negócios econômicos, trazendo não só empregos, mas também ajudando a girar a economia de uma região. As atrações nacionais  que tem vindo a Irati já estão fazendo isso. Elas atraem não só pessoas de Irati, como de outras cidades da região, que vem ao município e se hospedam em hotéis, comem em restaurantes locais e consomem no município.

Com atrações de qualidade que chamem a atenção do público e uma estrutura turística pronta para receber pessoas de fora, Irati e região podem se tornar referência em turismo, especialmente em estações como o inverno e outono.

Para que isso aconteça é necessário movimentação tanto do setor privado como do setor público. O setor privado já tem feito alguma movimentação considerável, comparada à de anos anteriores, mas ainda tímida por causa da crise econômica. É preciso também que o setor se una e se organize para que todos possam crescer.

O mesmo acontece no setor público. A região tem visto muitas das novas gestões se movimentando seja para realizar os festejos quanto para aprimorar o setor turístico. No entanto, ainda são poucas as ações coordenadas, envolvendo a região como um todo. Isso porque a região possui potencial de se tornar uma rota turística, fazendo parte das atrações entre Foz de Iguaçu e Curitiba. Mas para isso é necessário planejamento e organização, onde cada município possa se preparar para decidir as áreas de foco de investimentos, receber investimentos de fora e principalmente ter infraestrutura para ser atração turística.

Um exemplo é a  necessidade de sinalização e informação. O turista precisa ter acesso fácil às informações da cidade, seja de forma física através de placas e de um centro de informações turísticas, como pela internet, com mapas atualizados, informações turísticas atuais e disponíveis de forma clara e explicada.

Enfim, o potencial da região já é conhecido, e pode se tornar um meio para que os municípios do Centro Sul consigam crescer e se desenvolver ainda mais. Mas para isso é preciso mais planejamento, ações integradas e foto para investimentos.