facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 982
12/06/2017

Fórum de Cultura Eslava estreita relação entre Unicentro e Universidade de Varsóvia

Fórum de Cultura Eslava estreita relação entre Unicentro e Universidade de Varsóvia

O Paraná é o estado mais eslavo do Brasil e, para fortalecer a internacionalização das pesquisas e o diálogo com as comunidades da região, o Núcleo de Estudos Eslavos (Nees) da Unicentro, realizou o II Fórum de Cultura Eslava, com o tema “Diálogos Multiculturais”. Entre os dias 15 e 26 de maio, foram realizados cursos e conferências que contaram com a participação da professora Izabela Stapor da Universidade de Varsóvia, da Polônia.

Segundo a coordenadora do II Fórum de Cultura Eslava, professora Luciane Trennephol da Costa, os debates focaram justamente a questão do multiculturalismo existente em nossa região e no Brasil, e que muitas vezes não é legitimado.

“As pesquisas linguísticas do Nees estão registrando essas línguas eslavas faladas aqui nas cidades de abrangência da Unicentro, e que tem uma descendência eslava forte. O polonês e o ucraniano são falados em diferentes situações sociais, como por exemplo: missas, velórios, catequese, interações familiares. Isso é um patrimônio linguístico do Brasil que tem que ser registrado, e também como linguistas, nós pensamos nesta questão dos diálogos multiculturais, desse multiculturalismo presente no Brasil e que precisa ser valorizado e legitimado”, destaca Luciane.

O Fórum também proporcionou o diálogo acadêmico entre professores da Unicentro e da Universidade de Varsóvia. A professora de Linguística Histórica, Izabela Stapor compartilhou seu conhecimento em línguas eslavas em cursos e conferências que foram realizadas no campus Irati e, também, no Santa Cruz.

A professora do Departamento de Pedagogia, Nelsi Pabis é também a presidente do Núcleo de Irati da Representação Central da Comunidade Brasileiro-Polonesa no Brasil (Braspol), e membro da diretoria nacional da entidade. Nelsi salienta a importância das ações de internacionalização do Nees, que possibilitam que professores da Ucrânia e da Polônia, venham até a região, conheçam e vivenciem seus hábitos com a comunidade, recuperando o que os antepassados trouxeram e deixaram.

“A universidade deve estar inserida na comunidade e a Unicentro está fazendo este papel através das ações que está desenvolvendo, valorizando a cultura local e regional. Como é uma instituição que trabalha de forma técnica e, principalmente, de forma científica, os seus estudos e pesquisas em muito vão contribuir para resgatar e incentivar a preservação da cultura entre os descendentes de poloneses e ucranianos aqui na região”, observa a professora Nelsi.

O Fórum de Cultura Eslava marcou também com o lançamento do segundo livro do Núcleo de Estudos Eslavos. Com o título “Diálogo Interculturais: Extensão e Pesquisa em Contextos de Imigração Eslava”, organizado pelas professoras Loremi Loregian Penkal e Mariléia Gärtner. A obra é resultado de um trabalho conjunto de pesquisadores, e contou com parceiros de universidades de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul. A ilustração da capa que tem como tema a antropofagia eslava é de autoria do artista plástico Eloir Junior.

Texto/Fotos: Assessoria Unicentro

Galeria de Fotos