facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 976 - Já nas bancas
28/04/2017

Política em Questão - Por Letícia Torres e Ciro Ivatiuk

Política em Questão - Por Letícia Torres e Ciro Ivatiuk

Ambulância para Mallet

O prefeito de Mallet, Moacir Alfredo Szinvelski (PSC), e o vereador Edinei Rogulski (PPS) estiveram reunidos com o secretário da Justiça, Trabalho e Direitos Humanos, deputado Artagão Júnior nesta segunda-feira (24). Na oportunidade, Artagão comprometeu-se a apoiar a administração e destinar uma ambulância para Mallet.

Projetos de habitação

Uma das grandes preocupações da prefeita de Fernandes Pinheiro,  Cleonice Schuck (PMDB) é com  a redução do déficit habitacional no município. Recentemente, ela e a diretora do Departamento de Habitação Márcia Dea, apresentaram os projetos conforme solicitava o edital de chamamento do Programa Família Paranaense e, agora, o município aguarda a licitação do Governo do Estado para a construção das casas.

Sessão polêmica

Na última segunda-feira (24), a sessão ordinária da Câmara Municipal de Irati foi polêmica. O Projeto de Lei 09/2017 gerou divergências entre os vereadores. O presidente da Comissão de Finanças, vereador Rogério Luiz Kuhn (PV), foi contra o projeto, que concede reposição salarial de 6,58 % e aumento real de 3,42% para os servidores que trabalham na Câmara de Irati. Rogério citou quanto ganham alguns servidores e disse que muitos vereadores não sabiam o valor dos salários. Disse ainda que o momento é de crise e lembrou que, em todo país, os governos estadual, federal e municipal não concederão aumento real. Ele pediu vistas ao projeto, mas como anteriormente já havia sido votada a sessão extraordinária pela urgência em analisar esse projeto e os demais projetos enviados pelo Executivo para reposição salarial, o pedido foi negado pelo presidente da Câmara, Hélio de Mello (PMDB). O presidente embasou a negativa no Regimento Interno e na Lei Orgânica Municipal.  Vários vereadores expuseram posição contrária à afirmação de Rogério Kuhn que eles desconheciam os valores dos salários dos servidores. Hélio de Mello enfatizou que existe margem para o aumento real, pois o Legislativo está longe do limite prudencial para os gastos com folha de pagamento. Também enfatizou que os servidores merecem ser bem remunerados.

Reposição para os servidores

Na sessão extraordinária, realizada logo após a ordinária, foram aprovados em segunda votação os projetos de lei do Executivo 56, 57 e 58/2017 e o 09/2017 do legislativo.  O PL 56 concede reposição linear de 6,58 % aos servidores. O PL 57 reajustou o piso salarial mínimo no município para R$ 1.178,88, considerando a reposição dada a todos os servidores. O PL 58 estabeleceu o piso salarial mínimo para os profissionais do magistério, que possuem jornada de 40 horas semanais, seguindo os 6,58 % de reposição. O vereador José Bodnar (PV), que atua há vários anos na liderança do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais enfatizou o avanço que esses projetos representam, por estar sendo dada a data-base aos servidores, sem a necessidade de discussões. Os projetos 56, 57 e 58/2017 foram aprovados por unanimidade de votos.  Já o PL 09 foi aprovado por nove votos a um e concedeu reposição salarial de 6,58 %, além de aumento real de 3,42% para os funcionários da Câmara Municipal.

Tenor italiano

Além da polêmica quanto ao pequeno aumento real para os servidores do Legislativo, marcou a sessão do dia 24 a inusitada apresentação do tenor italiano Fabio Velente. Ele interpretou três belas canções clássicas com maestria e encantou os presentes. O tenor veio a Irati agradecer Nossa Senhora das Graças por bênção alcançada e, dentre as canções que ele interpretou na Câmara Municipal, Ave Maria, de Schubert.