facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 962 - Já nas bancas!
07/04/2017

Projeto ensina taekwondopara pessoas de todas as idades

Projeto ensina taekwondopara pessoas de todas as idades

Um projeto esportivo pretende ensinar a arte marcialtaekwondopara pessoas de todas as idades em Irati. Idealizado pelo Grão Mestre Carlos Mello, o projeto já possui 20 alunos em menos de um mês.

As aulas estão sendo ministradas no Ginásio Agostinho Zarpellon (Batatão), todas as segundas e quartas-feiras, das 19h às 20h30, e aos sábados, das 13h30 às 15h.

Segundo Carlos Mello, a participação tem sido muito positiva, sendo que até pais que antes apenas levavam os filhos para participar das aulas, também começaram a treinar junto. “A facilidade de aprender o taekwondohoje em dia é também um escape. É uma terapia. A pessoa está estressada, vai pra lá, treina um pouquinho, se diverte”, disse.

Uma das pessoas que começou a treinar junto com a turma é o pastor Eduardo de Souza Filho que conta que as aulas ajudam a reforçar valores. “Você aprende valores, princípios”, disse.

A idade mínima para começar a treinar é em média de cinco anos. “A gente estipula cinco anos de idade, mas nada impede que ela com dois ou três anos não possa fazer. O que importa para criança ali é a coordenação motora e o foco, a atenção dela, aprender a focalizar”, disse Carlos.

Atualmente, uma mensalidade de R$30 é cobrada para participar das aulas, com o objetivo de adquirir material, mas Carlos explica que a intenção é transformar o projeto para que consiga atender crianças carentes do município. “É um meio de conter as crianças naquele núcleo ali. Ao invés de estarem mal acompanhadas, estarão ali no esporte e também formando atletas”, disse. Um projeto foi encaminhado à Secretaria de Esporte e Lazer que está analisando a viabilidade.

Enquanto isso não acontece, Carlos e o pastor Eduardo, da igreja Batista,estão procurando ajuda na comunidade para conseguir melhorar a estrutura das aulas. As aulas são ministradas em espaço cedido pela Secretaria de Esporte e Lazer e ainda não há nenhum equipamento. Segundo Carlos, a intenção é conseguir um tatame para ajudar no treinamento durante o inverno. “Estamos querendo ver se conseguimos aqui na cidade se algum empresário quiser nos apadrinhar”, disse. “É uma estrutura ainda que está iniciando, está crescendo. Então toda a colaboração é bem-vinda, inclusive a colaboração do tatame, que é importantíssimo ter. A estrutura está sendo recém montada”, conta o pastor Eduardo.

Grão Mestre

Carlos Mello relata que iniciou seu treinamentono taekwondopor acaso. Ele conta que desde pequeno gostava de filmes de luta. “Quando via filme de arte marcial, eu queria treinar arte marcial. Mas eu gostava muito daquelas lutas que via chute pra cá, chute pra lá. Um rapaz chegou na minha cidade e falou assim: ‘ Tá tendo aula de karatê em um clube. Vamos lá olhar?’. Aí eu fui lá. Estava vendo o pessoal com uma roupa parecida, chute pra lá, chute pra cá. Aí pensei: ‘é isso que eu quero’”, conta.

Ele começou a treinar, mas somente com o tempo descobriu que a luta não era karatê, mas sim, taekwondo. “Tava escrito atrás do uniformetaekwondo. Eu achei que era um estilo. Treinei, treinei e treinei e depois que troquei a primeira faixa que eu vim a saber que não era karatê era taekwondo”, relata. “De lá pra cá estou até hoje e nunca parei”, disse.

Depois de 37 anos de treinamento, Carlos Mello se tornou Grão Mestre 7º Dan.

Texto: Karin Franco/Hoje Centro Sul

Fotos: Carlos Mello/Divulgação

Galeria de Fotos