facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 996 - Já nas bancas!
27/03/2017

Doações dos fiéis viabilizam construção de novas instalações na Colina Nossa Senhora das Graças

As obras que estão sendo feitas com a ajuda de fiéis, três novas salas,ocorrem no ano em que a imagem de Nossa Senhora das Graças completa 60 anos. Comemoração acontece junto com o jubileu de 70 anos da Paróquia São Miguel

Doações dos fiéis viabilizam construção de novas instalações na Colina Nossa Senhora das Graças

No ano em que o monumento de Nossa Senhora das Graças completa 60 anos, a colina que abriga este atrativo do turismo religioso de Irati está recebendo novas instalações. Com recursos arrecadados através da doação de fiéis, estão sendo construídas três salas que deverão ajudar em um melhor atendimento aos visitantes.

O padre Luiz Carlos Mirkoski, da Paróquia São Miguel, explica que cada sala terá uma função. “Está em obras já a construção de três salas, do lado da imagem, que vão atender as necessidades de atendimento espiritual ou confissões, na sala de atendimento de pessoas queali chegam; em uma outra sala serão guardados os utensílios, os objetos próprios, como cadeiras, aparelho de som que pertencem à colina, à santa; e a terceira será a sala dos milagres, onde vamos  guardar tantas fotos, imagens, flores que as pessoas trazem do Brasil todo e do mundo. Inclusive tem fotos ali de quem recebeu uma graça no Paraguai, eles sempre passam aqui, deixam foto, então vamos guardar isso na sala dos milagres, vamos preservar essa piedade do povo também”, disse.

Conforme o presidente da Comissão de Manutenção da Imagem de Nossa Senhora das Graças, Mário Ferreira Martins, as salas ajudarão a suprir essa demanda existente. “Lá tem uma carência muito grande, não temos onde guardar objetos que são trazidos pelas pessoas que recebem graças, então levam lá e não temos onde guardar. E não temos onde guardar material de limpeza, aquelas cadeiras que são utilizadas para celebrações e também não tem espaço físico para o padre fazer atendimento. Então uma das salas vai ser exclusivamente para atendimento dos padres”, explica.

A construção iniciou em 13 de fevereiro e tem tido uma evolução rápida, sendo que as paredes das salas já começaram a ser erguidas. Segundo Mário, a intenção da comissão é terminar as obras até o dia 15 de junho. “Fizemos algumas alterações em termos de concreto para o piso, foi feito um concreto zilhado, ou seja, ganhou-se tempo porque o concreto do piso ia demorar mais dias, ia demorar três dias para fazer o concreto e lá o concreto zilhado o caminhão foi lá em três horas concretou tudo. Então a gente ganhou tempo nesse sentido”, disse.

A data de término foi estabelecida porque a comissão quer preparar o local para as comemorações de aniversário de Irati e da imagem no dia 15 de julho. Neste dia, deverá ser celebrada uma missa com o bispo Dom Sérgio Arthur Braschi, às 10h, além de um ato cívico realizado pela prefeitura municipal em razão do aniversário da cidade.

Projeto

A obra tem como responsáveis técnicos o engenheiro civil Ramon Pires e o arquiteto Manoel Lemos de Mattos Netto. Segundo Ramon Pires, a realização do projeto desta reforma foi desafiadora. “É difícil projetar algo na colina, até porque ela já foi ferida demasiadamente com algumas obras desnecessárias, que hoje se tornaram uma cicatriz no morro. Queremos devolver a beleza para este lugar sagrado, neste intuito, juntamente com o arquiteto e urbanista Manoel Lemos de Mattos Netto, sem ofender as características originais da construção, desenvolvemos um projeto digno com o porte da imagem da santa”, disse. “Buscamos trazer uma identidade arquitetônica para a colina inspirada no que já existe lá e para que as futuras melhorias sejam feitas”, disse o arquitetoManoel Lemos de Mattos Netto.

De acordo com Ramon, o projeto teve alguns equívocos durante o tempo que devem ser levados em consideração agora nessa construção. “A história nos recorda, que durante a construção da imagem, as mãos de Nossa Senhora foram colocadas invertidas, ou seja, com as palmas viradas para baixo, acho que este não foi o único erro cometido no morro, durante anos se deixou que carros passassem na frente da imagem, onde hoje existe a calçada de paver, o que danificou em muito a estrutura da Santa. Há muito hoje ainda para se melhorar na imagem, prova disso são os azulejos do lado da base, que necessitam de polimento e manutenção especializada”, disse.

O engenheiro ainda destaca que a colina poderá receber novas adaptações futuramente. “Estamos ainda desenvolvendo um projeto para a escadaria com a construção das estações da via sacra. Algo para um futuro próximo”, revela.

Doações

Toda a reforma está sendo possível através da doação de fiéis e de almoços realizados pela comissão para arrecadar fundos. “Estas salas estão sendo construídas com o dinheiro dos fiéis e não de nenhum órgão do Estado, União ou Município e são de extrema necessidade, porque o morro também é um local de culto e para tanto necessita de uma estrutura que atualmente é improvisada”, disse o engenheiro.

O presidente da Comissão de Manutenção da Imagem de Nossa Senhora das Graças, Mário Ferreira Martins frisa que toda a obra está sendo feita com recursos exclusivamente doados pelos fiéis. “Seja durante as celebrações, seja as depositadas lá no cofre lá da Santa. Somados a dois almoços que foram feitos, que está acumulando para pagar isso. Nós temos recursos suficientes para terminar essa obra”, conta Mário. “Nós agradecemos muito essas pessoas”, disse.

Segundo o presidente a intenção é transformar o local em um santuário. “É um sonho que o local se transforme em um santuário, por ser a maior imagem do mundo, então para se transformar em santuário tem muita coisa a ser feita”, relata Mário. Além de adaptações, o presidente relata que é necessário regularizar o terreno onde selocaliza a imagem. “Estamos criando o processo de usucapião para criar a matrícula do terreno”, disse.

Jubileu

No mesmo ano em que se comemora os 60 anos da imagem de Nossa Senhora das Graças, a Paróquia São Miguel, território na qual a imagem pertence, também se prepara para o aniversário de 70 anos em janeiro de 2018. “Nós tivemos agora no mês de janeiro a abertura desse ano jubilar, no dia 29 de janeiro, na primeira novena de São Miguel que fizemos, abrimos então essa caminhada de um ano onde vamos celebrar com vários eventos”, disse o padre Luiz. “Vamos celebrar o que celebramos sempre, mas com mais profundidade, com mais sentido, com mais ânimo, nossasmissas mais preparadas, os encontros de formação mais qualificados, além de vários momentos como, por exemplo, as novenas de São Miguel. Todo dia29 de cada mês acontece essa novena até setembro até o dia da festa com este foco dos 70 anos”, conta.

Na programação também consta a missa das etnias, com a participação de descentes de italianos, ucranianos, poloneses e alemães. “Vão fazer uma leitura na sua língua, um cântico na sua língua”, relata o padre.  As comemorações ainda se estendem com a festa junina e a celebração religiosa na Santa em julho.

Segundo o padre, aparóquia São Miguel tem uma importância muito grande para as famílias iratienses. “Olhamos o contexto histórico para a importância das famílias, para a igreja católica aqui em Irati e para a comunidade iratiense como um todo, não só a simbologia da presença do edifício que é muito conhecido aqui na cidade, mas as celebrações que aqui acontecem, os batizados que acontecem, os casamentos, muitos velórios que marcaram a vida das famílias que aconteceram na São Miguel, crismas, primeira comunhão, isso marcou a história de muitos iratienses desde 48 quando ela foi fundada. Agora eles trazem isso à tona, muitos vêm para agradecer, relembrar e nos ajudar a fazer esse evento de ação de graças, trazendo fotos, textos, publicando”, disse.

Para ele, esse ano que antecede os 70 anos é um ano de reflexão. “Todo ano jubilar, todo aniversário é uma reflexão. É um olhar para a história, reconhecer a graça e a presença de Deus. É um pé no presente, aqui estamos caminhando, construindo essa história, fazendo essa história. E um olhar para o futuro, com muita esperança com nossas crianças, os jovens que estão iniciando um trabalho de novo, os casais, as pessoas de meia-idade, os idosos, da melhor idade que são muitos, que trazem essa tradição e representam e significam, portanto, naquilo que já é, já existe e que precisam trazer à tona um pouco mais, perceber”, destaca.

Imagem de Nossa Senhora das Graças

Construída em 1957, em comemoração aos 50 anos de Irati.

É a maior estátua construída da Nossa Senhora das Graças, com 22 metros de altura.

A serpente localizada no pé da Santa se refere à passagem na Bíblia: “E porei inimizade entre ti e a mulher, e entre a tua semente e a sua semente; esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar” (Gênesis 3:15). Na imagem, a Virgem Maria aparece esmagando a serpente. Para os católicos, ao dizer sim a Deus, a Virgem Maria esmagou o demônio representado na serpente. Ela é considera então “a Nova Eva”.

Paróquia São Miguel

A origem da paróquia começou com a construção de uma capela em 1927 por poloneses que necessitavam de uma capela para rezar em sua própria língua.

Em 1948, é criada a Paróquia de São Miguel que é entregue aos padres vicentinos. O primeiro pároco foi padre Eduardo Pinocy, natural da Polônia. Como a maioria dos padres vicentinos eram poloneses, a paróquia acabou sendo conhecida como “Igreja dos Poloneses”.

A igreja que conhecemos hoje começou a ter sua construção realizada após a criação de uma comissão em 1950. A igreja foi construída ao redor da capela de madeira que foi destruída apenas em 1954, após as paredes, cobertura e uma pintura provisória da nova igreja ser realizada.

Texto: Karin Franco/Hoje Centro Sul

Fotos: Karin Franco e Silmara Andrade/Hoje Centro Sul

Galeria de Fotos