facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 997 - Já nas bancas!
13/03/2017

Editorial - Proteção aos direitos

Editorial - Proteção aos direitos

Cidadania e proteção aos direitos das pessoas. Estes foram temas em alta em Irati e região nesta semana e pautam várias matérias publicadas na edição do Hoje Centro Sul.

Uma delas é sobre o Paraná Cidadão, programa da Secretaria de Estado da Justiça, Trabalho e Direitos Humanos (SEJU) ofereceu e continua oferecendo nesta sexta-feira (10), serviços como a intermediação de vagas de emprego; inscrição nos cadastros de tarifa social de água e luz; orientação jurídica, trânsito; habitação e dos direitos humanos, ainda ações de saúde, segurança e atividades culturais e de lazer.

Outras sobre o Dia Internacional da Mulher. Na primeira, a data motivou várias mulheres a irem às ruas em Irati para participar da Greve Internacional de Mulheres, que teve como objetivo chamar a atenção para discussões a respeito da mulher no mercado de trabalho e na sociedade, além da violência à mulher. Em Rebouças, um evento gratuito de valorização emelhoria da auto-estima ofereceu às mulheres que participam do projeto Vivendo Bem e trabalham todos os dias fazendo a limpeza de ruas da cidade a terem acesso a serviços  como corte de cabelo, manicure, maquiagem, massagem com massoterapeuta e sessão de fotos, melhorando a autoestima delas.

Na terceira matéria sobre o tema cidadania, a sensibilidade dos profissionais de saúde da Santa Casa de Iratique, diante da fragilidade dos bebês que necessitam permanecer na UTI NeoNatal da instituição, adotaram práticas de humanização, permitindo o livre acesso dos pais para ver os filhos. Além de oferecerem o suporte material –através de parcerias –, com a disponibilização da casa de apoio para a permanência das mães que residem em outros municípios; e o suporte psicológico, oferecendo toda a ajuda necessária neste momento crítico pelo qual as famílias passam.

São bons exemplos de proteção às pessoas que passam por situações devulnerabilidade. Que precisam de apoio para ter seus direitos assegurados. É preciso sim oferecer tratamento diferente aos que tem maiores necessidades. E isso é função de toda a sociedade, não apenas do poder público. Façamos, cada um a nossa parte.