facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 970 - Já nas bancas!
10/02/2017

Iratiense ganha concurso nacional de proficiência em Inglês

Iratiense ganha concurso nacional de proficiência em Inglês

O aluno da Escola de Línguas Influx de Irati, Christian Prestes, de 25 anos, gabaritou o teste de proficiência em língua inglesa, o Test OfEnglish For International Communication (Toeic). Com o resultado, Christian ganhou a oportunidade de realizar um intercâmbio para um país de língua inglesa. O prêmio é da rede influx, em que o aluno da rede que tira a maior nota no Toeic no semestre ganha o intercâmbio com tudo pago, passagens, hospedagem, alimentação e escola.

O local ainda escolhido para o intercâmbio é a cidade de Fort Lauderdale, na Flórida (EUA). O estudante terá a oportunidade de ficar três semanas no país, no mês de julho, realizando um curso intensivo nos dias de semana, e nas horas vagas e fins de semana poderá aproveitar as programações extras e as atrações turísticas.

Para Christian, o resultado do teste foi surpreendente. “Quando eu entrei no curso eu já soube desse exame no final e que teria a oportunidade de viagem. Então eu já coloquei esse objetivo na cabeça: ‘Quem sabe, né? Com empenho, no final eu consigo’. E depois que fiz a prova eu tinha a impressão de que eu tinha ido bem, mas não o suficiente para gabaritar. Quando o FábioIvatiuk, diretor da escola, me ligou, falou para eu ir lá pessoalmente, fez um suspense, mas acabou falando que eu tinha gabaritado a prova, que é bem difícil de gabaritar, então foi uma surpresa grande, não sabia que tinha ido tão bem assim na prova”, conta.

Ao realizar o teste, o aluno precisa ler e responder questões de múltipla escolha na prova, e também ouvir questões em áudio e então responder a alternativa correta na prova.

Christian conta que a vontade de aprender inglês veio desde criança, mas que a oportunidade de realizar um curso de línguas aconteceu somente após conseguir um emprego. “Eu sempre gostei da língua inglesa desde que eu era pequeno. Nos videogames, ou assistindo filmes, sempre tive interesse em aprender. Já na escola, eu tentava me esforçar um pouquinho mais de aprender a matéria que eu gostava, e quando tive a oportunidade de fazer o curso, porque eu tava trabalhando, podia pagar, não pensei duas vezes, eu quis começar um curso para aprender a falar também e para poder assistir um filme sem legenda, ou jogar um jogo e entender tudo que eu estou vendo ali”, disse.

Com o objetivo conquistado, agora Christian começa a se preparar para o intercâmbio que será realizado em julho, no verão americano. “Na Flórida tem várias praias, vou pegar uma época boa, vai dar para aproveitar bem o verão. Estou contando os dias”, disse.

Para os alunos que desejam prestar o exame, Christian conta que é necessário se esforçar. “O curso em si prepara bem para o exame, as provas que o curso aplica são praticamente iguais a prova do exame. Claro, menos questões apenas, mas a prova é praticamente igual. Também tem a parte escrita, a parte que você ouve o áudio e seleciona as respostas, então para os alunos que estão, principalmente, que estão começando agora, eu diria para eles levarem realmente o curso a sério, estudem o livro. E também a escola disponibiliza antes do teste, um simulado, que é uma prova anterior, que é igualzinho, isso ajudou demais pra conhecer o teste”, disse.

Christian diz que também é necessário usar as horas vagas para tentar imergir na língua em que está estudando. “O que a pessoa puder fazer, não só estudar, mas eu acho que o principal é usar o tempo de lazer para ter contato com o idioma, não pegar um dicionário, ou pegar um livro de gramática e começar a ler, mas começar a ler livros do seu interesse em inglês, assistir séries ou filmes do seu interesse em inglês, que isso vai ajudar demais, e você não vai ter aquele sentimento que está estudando para alguma coisa. Você vai estar se divertindo, vai estar  passando o tempo, mas vai estar aprendendo nesse meio tempo”, indica.

Ele destaca que sempre teve o curso como uma prioridade e que não se arrepende de ter feito. “Eu sempre considerei uma prioridade. Na época que eu comecei, eu era estagiário, ganhava pouco, mas mesmo assim, tirava um montão do meu salário para pagar o curso ao invés de gastar com outras coisas . Eu achava realmente importante, não me arrependo nem um pouco de ter investido meu tempo e meu dinheiro  num curso de inglês. Tanto pela viagem que eu ganhei, quanto pelo crescimento pessoal que eu ganhei, pelo aprendizado”, relata. 

Texto/Foto: Karin Franco/Hoje Centro Sul