facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 982
30/01/2017

Prefeito de Inácio Martins inicia mandato retomando serviços essenciais

Prefeito de Inácio Martins inicia mandato retomando serviços essenciais

A atenção ao setor de saúde tem sido prioridade em Inácio Martins. Imediatamente ao assumir, o prefeito Júnior Benato regularizou serviços que tinham dívidas e estavam ameaçados de parar ou até mesmo já haviam sido paralisados. Exemplo disso eram as consultas especializadas, através do Consórcio Intermunicipal de Saúde, que não estavam sendo oferecidos para a população há vários meses e foram reestabelecidas.

“Para o Consórcio de Saúde, não tinha encaminhamento desde a eleição”, conta. Também existiam dívidas com a entidade. “Ficou, em reais, para pagar R$29.528,55, que ficou em dívida do Consórcio. Hoje ela está em dia, ela está paga”, comenta.

Outro problema do setor, identificado já no período de transição e avaliado como “emergencial” por Júnior Benato é a falta de médicos. “Então a gente, o que via, a prestação de serviços emergenciais para o município estava parada, por exemplo, médico do PSF do Góis Artiga, que é uma linha aqui do nosso interior, não existia mais, durante três meses ficou sem, hoje já está sendo colocado ordem, já temos um médico, a equipe inteira está funcionando”, informou.

O prefeito cita que está ocorrendo a reorganização das unidades de saúde em que existe o Programa de Saúde da Família (PSF), pois, devido à falta de médicos, os sistemas de informação deixaram de alimentados.

Além da dívida com o Consórcio de Saúde, também foram deixadas dívidas com prestadores de serviço que realizam a coleta de lixo, segundo o prefeito. “Nossa coleta de lixo, por exemplo, ficou um resto a pagar para uma empresa de R$ 193.662,00 e é um serviço essencial para o município, e a outra que faz um serviço de trasbordo do lixo, mais R$ 54 mil. Ou nós pagamos uma determinada parte ou ficamos sem trabalho”, disse.

Os principais desafios para a atual gestão estão sendo manter os serviços essenciais e pagar as contas. Por isso a ordem é economizar. “A somatória dos restos a pagar dá quase um milhão de reais. Amenizou um pouco a repatriação, amenizou, mas não foi o suficiente para suprir a necessidade”, disse.

Inácio Martins recebeu R$ 697,2 mil em recursos da repatriação e Júnior Benato tem determinado austeridade no uso do dinheiro público, tanto da repatriação, como dos demais repasses.  “Tem que ver agora é o que é essencial para o município. Precisamos otimizar os nossos recursos, se eles não estão sendo suficientes para tudo, nós temos que ver o que é mais essencial, então essa é a maior dificuldade nossa, colocar em dia todos os pagamentos que ficaram em restos a pagar e dar uma destinação do nosso recurso, que é pouco, para ser eficiente no básico para o atendimento da nossa população”, defende o prefeito.

A economia também está na montagem da equipe de governo, que possui, prioritariamente, funcionários efetivos da prefeitura. “Eu pretendo que vá até o final do mandato. Não posso desmerecer ninguém que possa ter uma oportunidade de ter um cargo comissionado, um secretário, ou um diretor de departamento ou assessor técnico, mas nesse momento eu não posso. Então, foi o mínimo de cargos comissionados. Tenho três cargos que são de fora, três ou quatro cargos nomeados que são de fora da prefeitura, o resto são todos do quadro, são pessoas que não estão lotados na secretaria ou no departamento, mas respondem por serem designados”, relata. Segundo ele, algumas dessas pessoas recebem apenas uma gratificação para assumir a função de responsabilidade, o que custa muito menos do que contratar comissionados e prestigia osfuncionários.

Obras

Prefeito pela segunda vez, Júnior Benato disse que sua experiência anterior o ajudou a saber que serviços essências têm que ter continuidade, assim como obras que já foram previstas. “Não tem porque parar se ela já tem uma previsão orçamentária, já faz parte de um contexto, de um planejamento, eu devo fazer com que elas continuem, outras ainda que já estavam aprovados e encostado lá, a gente já foi imediatamente resgatar para que elas já comecem já efetivamente”, disse. Ele citou que há obras cujos projetos e convênios haviam sido feitos ainda durante a sua gestão anterior 2009/2012 e outras deixadas pelas outras administrações.

Um dos exemplos de obras conquistadas por Júnior Benato em seu primeiro mandato é a supercreche. “A supercreche nós até já tínhamos dinheiro em conta e já tínhamos iniciado os trabalhos. Foi feito um novo orçamento, um novo projeto arquitetônico, de mudança de local [pelas outras administrações], e ela está em frase de implementação e construção. Ela teve uma interrupção da empresa com dificuldade financeira, inclusive de repasses, nós fizemos o chamamento de todas as empresas que têm obras no município, algumas amigavelmente retomaram ao trabalho. A super creche é uma delas, o rapaz veio e conversou com a gente e agora nessa semana está dando continuidade na obra. É e umcompromisso dele, o município está correto, cumprindo todas as exigências de pagamento e tive tranquilidade nas tratativas com as empresas”, destaca.

O prefeito ainda citou a revitalização da Praça da Saúde, outra obra que está tendo continuidade. “Ali nós temos uma cancha de areiae vai ser colocado um parquinho, uma academia ao ar livre”, relata. Ele cita que o espaço esportivo será feito com recursosfederais, conquistados através do deputado Leopoldo Meier, à pedido do vereador Sidnei Lopes.

Busca de recursos

Júnior Benato cita que atuará permanentementejunto a instâncias estaduais e federais, para que Inácio Martins seja contemplado por convênios.  “Um ação de destaque será a busca de recursos, tanto no governo do estado quanto no governo federal”, disse.

Exemplo disso é que, já nesses primeiros dias de mandato, ele conquistou R$ 250 mil junto ao governo do estado, através de uma emenda por meio do secretário da Justiça, Artagão Junior. E o prefeito quer ouvir a população para decidir em que área aplicar os recursos. “Eu farei uma audiência pública para ver a necessidade da nossa população, pode ser através da compra de ônibus do transporte escolar, ou veículos para secretarias ou até equipamentos para o nosso setor rodoviário ou equipamentos para hospital, ou várias áreas. São várias escolhas ali que eu posso fazer dentro do limite 250,00 mil reais, se tiver alguma coisa que me custe mais eu posso entrar com uma contrapartida do município”, comenta.

Região

Recentemente, Júnior Benato assumiu a presidência da Amcespar e disse que pretende realizar um trabalho para a região. Ele destaca que uma das primeiras ações foi buscar meios para ajudar os municípios com os portais da transparência. “Nós já tivemos, através do Instituto de Cidades Inteligentes, vendo uma deficiência de alguns municípios da nossa região com relação do portal da transparência, para que a gente tenha um padrão, que atenda a legislação vigente, para que o Ministério Público seja contemplado e não nos notifique pela não eficiência do portal, porque o portal é hoje uma exigência da legislação”, disse.

Texto: Da Redação/Hoje Centro Sul

Foto: Ciro Ivatiuk/Hoje Centro Sul