facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 969 - Já nas bancas!
21/10/2016

Derbli adianta mudanças que pretende realizar em Irati

Durante reunião na Aciai para a indicação de nomes para o secretariado, o prefeito eleito de Irati comentou algumas das ações que planeja em sua administração

Derbli adianta mudanças que pretende realizar em Irati

O prefeito eleito de Irati, Jorge Derbli (PSDB), e seu vice, Amilton Komnitski (PSD), participaram na manhã desta terça-feira (18) de uma reunião com a diretoria da Associação Comercial e Empresarial de Irati (Aciai), membros do Observatório Social, da Associação dos Contabilistas, da Subseção de Irati da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e da imprensa. Promovido pela Aciai, o encontro teve como pauta principal a indicação de nomes para compor o secretariado de Derbli, entretanto diversos outros assuntos foram abordados.

Na oportunidade, o prefeito eleito enalteceu a iniciativa das entidades em colaborar com a administração pública, comentou como está o processo de transição de governo, adiantou algumas das mudanças que pretende realizar na Prefeitura de Irati e contou que estará em Curitiba e em Brasília nessa semana em busca de emendas parlamentares - pois o prazo para  solicitação de emendas que poderão viabilizar obras e projetos em 2017 se encerra na sexta-feira, dia 21.

Uma das primeiras mudanças previstas por Derbli é a redução do número de secretarias. Segundo ele, em seu governo serão 12 ou 13 secretarias e vários departamentos acoplados a elas.  Em um organograma apresentado durante a reunião, três secretarias deverão ser reunidas, as secretarias de Arquitetura e Urbanismo, Serviços Rurais e Serviços Urbanos, que  se tornarão apenas Secretaria de Obras.  Pelo mesmo organograma, a Secretaria de Comunicação Social deixará de existir. 

"Vamos integrar, acoplar para que não fique muita gente. Também vamos considerar o quadro de funcionários da prefeitura na escolha dos secretários e chefes de setores", ressalta Derbli, acrescentando que os secretários terão que se dedicar em tempo integral ao trabalho na administração.Outra pretensão do prefeito eleito é estruturar  uma Controladoria Geral,  que estará acima de todas as secretarias. Ele também disse que fará um almoxarifado central,  que cuidará de todas as compras do município. "O almoxarifado central vai concentrar toda a entrada e saída de produtos. Com ele, acredito que teremos uma economia de uns R$ 300 mil por mês, que vai dar para utilizar em outras áreas. Vou ser um prefeito muito polêmico vou mudar muita coisa dentro da prefeitura", adianta Derbli.

Ele  afirma que vai tentar trazer para a administração pública algumas premissas da iniciativa privada. "Porque eu acho que a administração pública não está se atualizando tanto quanto deveria. Nessa questão de organização, a gente quer trazer muita coisa para dentro da prefeitura para tentar organizar e melhorar, principalmente o atendimento às pessoas", justifica. Ele cita como exemplo a ideia de implantar uniformes padronizados e crachás para os funcionários, para que os cidadãos que procuram os serviços municipais não tenham dúvida de quem são os servidores e em quais setores trabalham. 

Transição

Quanto às primeiras preocupações da transição, Derbli cita os convênios que precisam ser assinados nesse ano, com contrapartida do município em caixa, para que projetos e obras possam começar em 2017. Também serviços que não podem ser paralisados nenhum dia, como a saúde e a coleta de lixo. Na saúde, ele defende que o novo secretário deve ser o primeiro a assumir e quanto à coleta de lixo, cita o contrato com a empresa terceirizada, que vai até dezembro e tem de ser discutido durante a transição.

"A gente está tendo esta cautela para que a coisa continue andando, não pare. Para começarmos o trabalho a partir do ano que vem com recursos já alocados do governo estadual e federal para dar continuidade e iniciar novas obras", diz. Nesse contexto, ele conta que protocolou  junto à Prefeitura Municipal o pedido para a equipe de transição comece a trabalhar em breve.

"O  prefeito  está fechando as contas, demitindo o pessoal comissionado e ele quer fazer um relatório detalhado, uma coisa pronta para entregar para nós a partir de dezembro.Nós conversamos com ele para antecipar para novembro, para dar tempo de formar as equipes, porque a gente sabe que no final do ano, a partir do dia 20 de dezembro entra em recesso, vem o período natalino", diz Debli.

Indicação de secretários

O presidente da Aciai, Oscar Luiz Muchau, explica que a reunião para sugerir nomes que poderão comandar as secretarias ocorreu porque a entidade pretende estar alinhada com a próxima gestão."Estamos percebendo esta 'abertura' do Jorge Derbli e estamos muito contentes, foi uma reunião muito positiva, que teve a adesão de 90% dos diretores da Aciai", comenta Muchau. Ele defende a importância da participação da sociedade civil organizada, das lideranças, na gestão pública. "Isso é o que a nossa cidade precisa, desta união para caminharmos juntos, buscarmos uma cidade melhor. E havendo esta abertura antes mesmo do primeiro dia do seu mandato, nos estamos acreditando muito no que estamos percebendo", ressalta o presidente da Aciai. Ele conta que a entidade fará reuniões e em 15 dias apresentará sugestões de secretários municipais.

Derbli considera este apoio relevante. "Nesses poucos dias de prefeito eleito, vi que o prefeito sozinho não faz nada", enfatizou. Quanto à iniciativa da Aciai em sugerir nomes para o secretariado, ele também aprova a ideia.  "Isso dá para gente uma sustentação, uma estrutura melhor de governabilidade, você trabalhar em conjunto com a sociedade, buscando o bem coletivo", finaliza Derbli. 

Texto e fotos: Letícia Torres/Hoje Centro Sul

Galeria de Fotos