facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 1156 - Já nas bancas!
09/08/2019

Registros de incêndios em vegetação dobram em julho em Irati

Julho registrou o dobro de ocorrências de incêndio em vegetação em comparação ao ano passado. Legislação municipal proíbe a queima.

Registros de incêndios em vegetação dobram em julho em Irati

O sistema do Corpo de Bombeiros registrou o dobro de incêndios em vegetações em Irati no último mês, comparado ao ano passado. Em julho de 2018, foram 15 registros. Em julho deste ano, o número subiu para 30 registros.

Neste primeiro semestre, os incêndios em vegetação também já superaram os números do ano passado inteiro. Ao todo, 2018 contou com o registro de 80 ocorrências deste tipo. Até agosto deste ano, já são 54 ocorrências.

Somente nos cinco primeiros dias de agosto de 2019 foram registradas 11 ocorrências, cinco delas somente neste domingo (04) e em horários próximos, além de estar dentro da zona urbana. No ano passado, 18 ocorrências foram registradas em todo o mês de agosto.

Causas

De acordo com a secretária de Ecologia e Meio Ambiente de Irati, Magda Adriana Lozinski, os focos de incêndio tem causa humana. “Por se tratar de margem de rodovia, é difícil a gente controlar porque o fogo não se inicia sozinho. Provavelmente alguém passa, joga uma bituca de cigarro, ou até mesmo, começa uma queima controlada e daqui a pouco, devido à seca que está e a geada que deu – o mato está muito seco, não tem umidade –, então o fogo acaba se expandido em uma velocidade que não tem mais controle, tomando proporções que podem vir a causar algum tipo de acidente”, disse.

A secretária destaca que não é apenas nas margens de rodovias que os focos são encontrados. “Não é somente ao longo das vias. Muitas pessoas se utilizam dessa prática para fazer a limpeza da propriedade. E é proibido”, conta.

A queima de vegetação em terrenos urbanos pode trazer multa ao proprietário. Se houver reincidência, a multa pode dobrar. “Todo e qualquer tipo de queima de resíduos é proibida, o lote sendo baldio ou não, ou mesmo que você faça a limpeza do seu quintal, do seu jardim, e depois queira queimar as folhas, os galhos. Essa queima é proibida, isso está dentro da lei municipal. Nenhum tipo de resíduo é permitido ser queimado dentro do imóvel, dentro do perímetro do imóvel”, explica.

Prejuízos

A secretária explica que a proibição em terrenos urbanos existe para prevenir possíveis prejuízos. “Se a gente pensar em área urbana, nossa residência é circundada por outras residências. Acabamos interferindo inclusive na qualidade de vida dos vizinhos do bairro, até mesmo da população como um todo. Devido ao número de focos, acaba prejudicando a qualidade do ar. Neste momento a qualidade do ar já não traz uma característica muito boa para a nossa respiração, então se cada um se conscientizar e não fizer essa queima, nós conseguimos melhorar a qualidade do ar”, disse.

Coleta verde

O serviço de coleta verde é a alternativa para a limpeza dos terrenos. Para conseguir o serviço, é preciso fazer um protocolo na Prefeitura de Irati, solicitando que a coleta verde passe em sua casa.

Na residência, o munícipe tem que preparar os materiais verdes, como folhas, galhos, gramas, e outros, para a coleta ser realizada.

A secretária lembra que resíduos plásticos não podem ser misturados e devem ser separados para a coleta seletiva. “Disponha da maneira correta que você não vai estar prejudicando a qualidade do ar, nem do vizinho. A pessoa está pagando pelo serviço. Utilize ele da forma correta”, disse.

Demora

Uma das dificuldades nesta época do ano é que a demanda pela coleta verde é maior do que a quantidade de equipe disponível. Assim, os serviços de coleta verde nos meses de junho, julho e agosto têm sofrido alguns atrasos.

“Como temos apenas duas equipes na Secretaria de Ecologia e Meio Ambiente, as duas equipes fazem tudo, inclusive a coleta verde. Nós temos que estar dispondo em dias específicos para fazer essa coleta. Eu não consigo garantir quantos dias nós teremos para fazer a coleta. Mas nós vamos fazer a coleta”, disse.

Multa

No início do ano, Irati publicou um edital de notificação para que os proprietários de terrenos baldios fizessem a limpeza dos lotes. Quem não limpasse, em 30 dias sofreria multa.

Segundo a secretária, a ação foi positiva, mas ainda é necessário conscientizar mais proprietários. “Através do edital de limpeza dos terrenos, percebemos que houve uma certa conscientização dos proprietários pela limpeza dos terrenos. Porém, nem todo mundo tem essa conscientização. Foram emitidas multas e notificações para alguns proprietários no sentido de conseguir que fizessem  a limpeza da propriedade”, disse.

Ela contou que a fiscalização continua. “Os terrenos baldios continuam sendo fiscalizados, para não se tornarem como já vinha acontecendo, alvo de descarte de materiais pela vizinhança”, disse.

Orientações

- O Corpo de Bombeiros orienta que a população não realize a queima de vegetação, especialmente em terrenos baldios.

- A queima para a limpeza em terrenos baldios é crime e passível de multa.

- Mesmo que o proprietário do terreno não seja o causador do incêndio, ele pode ser responsabilizado.

- Para terrenos em zonas urbanas, a orientação é manter sempre a limpeza.

- Na zona rural, há a possibilidade de conseguir uma autorização em órgãos ambientais, mas para fazer o fogo é necessário seguir regras do Corpo de Bombeiros e ter a autorização.

- Qualquer queima pode ser denunciada à Guarda Municipal.

Limpei meu terreno. O que fazer?

- Vá até a Prefeitura Municipal de Irati. No setor de Protocolo, peça para fazer um protocolo para a Coleta Verde. Dê o endereço do recolhimento do lixo.

- Em casa, prepare o material a ser coletado. Junte as folhas, gramas e pequenos galhos em sacos de lixos grandes; Galhos grandes e materiais verdes maiores podem ficar sem saco de lixo.

- Em caso de plásticos, separe para a coleta seletiva.

- Deixe-os na frente de casa, no local de coleta de lixo.

- Atenção: A Coleta Verde pode demorar, devido à grande demanda e a pouca quantidade de equipes.

Texto: Karin Franco/Hoje Centro Sul

Fotos: Letícia Torres/Hoje Centro Sul

Galeria de Fotos