facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 1093 - Já nas bancas!
31/10/2018

Jovens são vítimas de golpe através de perfil falso no Facebook

Jovens são vítimas de golpe através de perfil falso no Facebook

Um dia você está usando o Facebook e uma mensagem aparece. É de um perfil oferecendo uma proposta para fotografar para uma loja de roupas. Em troca, você receberia pagamento. Você aceita. Combina dia e local para fazer as fotos. Mas no dia, você descobre que o local não existe e que o perfil que te convidou é falso.
Essa situação aconteceu com diversas mulheres jovens na última semana em Irati. Tatiana* é uma delas. Ela chegou a publicar em diversos grupos do Facebook o alerta de que o perfil que convidava para um ensaio fotográfico era falso. “Eu fiquei com medo. Imagine que não é só comigo. Vai que é homem fazendo isso. É muito perigoso”, conta.
O modo era igual com todas: a mensagem chegava e depois de conversar um pouco, o perfil pedia para mandar algumas fotos. “Ela tinha pedido para mandar a foto só pra saber o estilo que a gente era, para escolher a roupa. Pedia foto de calça jeans, calça legging e de shorts, mas eu não mostrei rosto. Só corpo, nada de foto estranha. Me parecia normal. Eu bobinha mandei”, conta.
Com as fotos mandadas, o perfil falso combinava como seria no dia. “Falou que era das duas às cinco da tarde na sexta-feira, dia 19, ia pagar R$100, e cabelo e maquiagem era por conta dela, só precisava levar tênis e salto pra tirar foto”, relata.
Ela conta que chegou a ir antes do dia combinado no endereço fornecido para ver se encontrava o local das fotos, mas não encontrou. Foi então que começou a desconfiar. “Eu fui umas duas vezes no endereço que foi passado que era na Benjamin Constant e não achei esse endereço. Só que eu já tinha mandado a foto. Até falei com minha mãe: ‘Isso não existe, está errado’. Aí eu cheguei no dia das fotos que era para ser sexta-feira e falei: ‘Tá tudo certo pra hoje?’. Ela disse: ‘Tá’. Aí falei: ‘Me manda a foto da tua casa, por favor, porque eu não achei’. Nisso me bloqueou e me excluiu do Facebook”, disse.
Quando descobriu que tudo era falso, Tatiana fez um post em diversos grupos de Facebook para alertar sobre o caso. “O povo estava bem assustado, porque muitas meninas foram enganadas. Uma delas falou que a irmã estava indo para lá agora para ver se era verdade ou não. E não era verdade”, conta.
Foi desse modo também que descobriu que o perfil era falso e utilizava a foto de uma outra pessoa que não tinha nenhum envolvimento sobre o golpe. “Um rapaz chamou no Whats e falou que conhecia a mulher, que morava em Angaí, que o marido mexia com porco e provavelmente não era ela, que ela não tinha loja nenhuma e essa loja que estava escrito Amanda Moda, na verdade é Amanda Modas que tem em Imbituva, não é nem aqui”, disse. 
Tatiana registrou um Boletim de Ocorrência na Delegacia de Polícia Civil de Irati, mas conta que ainda tem medo do que possa acontecer. “Irati é uma cidade pequena, mas nada impede que alguém faça alguma coisa, publique em site dizendo que ela está se oferecendo para isso, para aquilo. Um [perfil] Facebook compartilhou uma foto minha. E eu fiquei: ‘Oi?!’. Denunciei e enviei para o investigador que disse para colocar tudo em modo que só teus amigos possam ver. Mas a gente não se atenta pra essas coisas, a gente simplesmente posta”, comentou.
 
Proteção
 
Proteger a privacidade nas redes sociais é um dos conselhos do delegado da Polícia Civil de Irati, Paulo César Eugênio Ribeiro. “O ideal primeiro, com essa propagação das redes sociais, é que a pessoa verifique a fidedignidade da pessoa que está enviando a foto, que está enviando o convite. Verificar a autenticidade das informações, como CNPJ, se existe uma empresa constituída, de onde a pessoa é, puxar todos esses dados, inclusive, se a pessoa quiser pode vir na Polícia Civil que podemos puxar esses dados. O primeiro passo é fazer isso, verificar a pessoa que está enviando esses convites, solicitando as fotos”, conta.
Já para casos em que algo já aconteceu, é possível denunciar para o próprio Facebook. “Principalmente neste caso em que é utilizada a foto de outra pessoa, um perfil supostamente falso, o Facebook tem um campo que você solicita o bloqueio dessa conta em razão da duplicidade de fotos ou de perfis”, explica.
Depois desse passo é necessário realizar um Boletim de Ocorrência. “O segundo caminho que a pessoa pode fazer, se constatar de fato prejuízo, poderíamos encaixar em um estelionato de repente a foto, querendo auferir alguma vantagem ludibriando um terceiro. Seria comparecer na Delegacia de Polícia para poder trazer esses elementos que comprovam prejuízo da vítima. A pessoa comparece na Delegacia, nós fazemos o Boletim de Ocorrência e apura a prática de estelionato”, relata.
Depois de realizar esses passos, a pessoa precisa prestar atenção nas redes. O delegado explica que apesar da polícia conseguir rastrear quem pediu a foto, o compartilhamento das fotos é mais difícil de controlar. “A pessoa deve ficar atenta que a imagem dela esteja sendo utilizada para outros fins e que ela compareça à Delegacia, não somente com relação à pessoa que solicitou a imagem, mas à pessoa que divulgou a imagem também”, disse.
 
Punição
 
Há ainda casos que perfis falsos são criados para se vingar de alguém. “Evidentemente que pode aparecer casos de injúria, há um tempo também houve um que foi devidamente apurado. A pessoa utiliza a foto de outra pessoa para denegrir mesmo a imagem daquela pessoa, nesses casos inclusive, é até mais fácil conseguirmos identificar o suposto autor, visto que geralmente existe uma intriga entre autor e vítima, nesses casos acaba sendo por vingança, criando estes outros perfis”, relata.
O delegado destaca que há punição para todos os casos citados. “Há punição. Teve um caso que houve punição inclusive. Pode caracterizar crime de injúria, dependendo da utilização da imagem da pessoa. É bom deixar o alerta para as pessoas que há sim punição nesses casos”, comenta.
 
Ocorrências
 
O delegado explica que muitas pessoas que caem nesse tipo de golpe não sabem o que fazer para se proteger. “O que eu vejo é que muita gente não tem o conhecimento para fazer isso. A pessoa não sabe o que tem que fazer. Até porque são situações da modernidade, são situações recentes que antigamente, nós não tínhamos visto. O ideal, se a pessoa precisa de orientação,  procurar a Delegacia de Polícia e nós vamos passar essa orientação correta com relação a isso”, explica.
Para Tatiana, o episódio trouxe uma lição. “Não aceitar quem não conhece no Facebook, literalmente, procurar pesquisar muito antes de mandar qualquer coisa, que é a primeira e última vez que isso acontece. E cuidar porque a gente nunca sabe quem está por trás de nada”, disse.
*A identidade real foi preservada a pedido.
 
Como denunciar um perfil falso?

- No perfil falso, clique no botão com pontinhos, localizado ao lado do botão “Mensagem”
- Nas opções, clique na opção “Dar feedback ou denunciar esse perfil”
- Escolha a opção “Conta falsa”; É possível denunciar também caso o perfil utilize a sua foto ou a foto de um amigo, nesse caso, a opção é “Fingindo ser outra pessoa”
- Clique em “Enviar”. Para o pedido ser analisado por uma equipe do Facebook é necessário clicar em “Denunciar perfil”
- Caso uma página para confirmar denúncias apareça, marque “Acho que isso está violando os Padrões da Comunidade do Facebook”. Depois “Denunciar”
- O usuário também pode escolher ocultar as postagens do perfil ou bloquear o perfil
- Ao fim, é necessário clicar em “Concluir”
Como denunciar uma página falsa?
- Na página falsa, encontre o botão de pontinhos, ao lado do botão “Compartilhar”, no topo da página.
- Escolha a opção “Denunciar”
- Marque “É uma fraude” e clique em “Continuar”
- Marque “Esta página é falsa” e clique em “Continuar”
- Para o pedido ser analisado por uma equipe do Facebook é necessário clicar em “Marcar esta página como fraude”
- Após clique em “Concluir”
 
Dicas

- Use a denúncia com moderação. Certifique-se de que a página ou perfil é realmente falso. Não use a ferramenta com intenção de vingança. Caso seja usada dessa maneira, o Facebook pode não considerar suas denúncias futuramente.
- Caso seja um perfil ou página que realmente seja falsa e que esteja prejudicando alguém, é aconselhável pedir amigos que também denuncie a página ou perfil. O número de denúncias pode chamar a atenção da equipe do Facebook que pode analisar mais rapidamente.
- O perfil ou a página não sai do ar assim que denunciado. Primeiro a equipe do Facebook precisa analisar a denúncia para averiguar a veracidade. Caso comprovada, a página e o perfil são removidos. Enquanto não sai do ar, o que pode acontecer é que o dono do perfil ou página falsa pode não conseguir acessar enquanto a análise não tiver terminado.
 
Como identificar um perfil falso?

- Use pesquise reversa: o Google Imagens possui um mecanismo de busca reversa, isto é, você pode descobrir de onde saiu uma foto. No site do Google Imagens (https://www.google.com/imghp?hl=pt-pt), clique na figura de uma câmera fotográfica que está no campo de busca. Ali, você pode colocar o endereço da foto, ou selecionar do seu computador, uma foto para descobrir se há outra parecida na internet.
- Analise o perfil: Preste atenção nas informações do perfil. Há muitas fotos pessoais, como fotos de viagens ou com amigos? Há declarações e comentários de outras pessoas amigas ou parentes? Há atividade no perfil, como postagem de assuntos ou de fotos? Parabenizações de aniversário ou conquistas? Quem são as pessoas que são amigas no perfil? Há conhecidos? Eles conhecem pessoalmente a pessoa do perfil? Quais são as páginas curtidas por essa pessoa?
Como identificar uma página falsa?
- Analise a página: Veja as informações da página. A página tem muitas curtidas? Quando ela foi criada? Quem curte a página? A página tem muitas postagens? Sobre o quê fala? Há comentários na página? Os comentários são respondidos? Há descrição sobre o que é a página? Em caso de algum negócio, há número de contato de telefone, endereço ou e-mail?
 
O quê fazer?

- Tire prints da tela para provar o que está ocorrendo. Se quiser, é possível ir em um cartório realizar uma ata notarial para formalizar os prints.
- Denuncie os perfis e páginas falsas.
- Vá à Delegacia de Polícia Civil mais próxima e faça um Boletim de Ocorrência.
 
Texto: Karin Franco
 
Foto: Reprodução/Facebook
 
 
 
 
 

Galeria de Fotos