facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 1041 - Já nas bancas!
13/04/2018

O que mudou no Paraná após a prisão de Lula

Esquema especial foi montado para acesso ao prédio da PF para missão de passaportes;ruas foram bloqueadas para garantir segurança; manifestantes a favor de Lula permanecem acampados em ruas próximas; e sede do PT foi transferida para o Paraná

O que mudou no Paraná após a prisão de Lula

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi preso pela Polícia Federal na noite de sábado (07) e transferido para uma sala especial da Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba. Desde a noite de quinta-feira (05), quando o juiz Sergio Moro expediu o mandado de prisão do ex-presidente – condenado em segunda instância a 12 anos e um mês por corrupção e lavagem de dinheiro – a rotina na capital paranaense mudou. Muitos manifestantes favoráveis à prisão de Lula concentraram-se nas proximidades do prédio da PF desde quinta-feira e, no sábado, chegaram os manifestantes a favor do ex-presidente, que montaram acampamentos em ruas próximas.

Para evitar conflitos, a Polícia Militar bloqueou as ruas no entorno da Superintendência da PF num raio de 500 metros. Só pode se aproximar do prédio da PF quem tem horário agendado para o serviço de emissão de passaportes. O acesso é liberado em grupos, à medida que outras pessoas deixam o prédio, onde Lula começa a cumprir a pena. O público tem de esperar na parte externa, em fila, com o portão fechado.

A Polícia Federal não divulga detalhes do esquema de atendimento para a obtenção do passaporte nem até quando o atendimento será assim, mas destaca que os serviços não param.

Comerciantes das proximidades da superintendência estão tendo suas vendas prejudicadas. O dono de um estacionamento em frente ao prédio da PF, que não quis se identificar, contou que em dias normais fatura por dia, em torno, de R$ 300 reais com o estacionamento que é ocupado, principalmente, por carros de quem tem o agendamento para obter o passaporte. Mas, com o bloqueio policial, o estacionamento está vazio. Para conseguir lucrar, o dono do espaço negocia com a imprensa e cobra diárias para que carros de emissoras de televisão estacionem.

Sede do PT

O PT deverá mudar a sede do partido para Curitiba provisoriamente enquanto o ex-presidente Lula estiver preso na cidade. No período da prisão, a porta-voz oficial do ex-presidente é a senadora paranaense e presidente do PR, Gleisi Hoffmann.

Prisão por crime comum

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é o primeiro presidente da República do Brasil preso por crime comum. Ele foi condenado após acusação de ter sido beneficiado com o repasse de R$ 3,7 milhões para a compra e reforma do triplex no Condomínio Solaris em Guarujá (SP). De acordo com a denúncia, as reformas feitas no imóvel pela construtora OAS, como a instalação de um elevador privativo, eram parte de pagamento de propina da empreiteira a Lula por supostamente tê-la favorecido em contratos com a Petrobras.  O ex-presidente foi condenado em segunda instância a 12 anos e um mês por corrupção e lavagem de dinheiro. Ele ficará preso em uma sala especial da Superintendência da Polícia Federal em Curitiba.

Antes de Lula, cinco ex-presidentes da República foram detidos só que por motivações políticas. As prisões começaram com Hermes da Fonseca, no começo do século 20, depois, Washington Luís e Arthur Bernardes, nos anos de 1930, Café Filho, na década de 1950, e Juscelino Kubitschek, durante a ditadura militar.

Texto: Letícia Torres/Hoje Centro Sul, com informações Agência Brasil

Foto 1: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Foto2: Letícia Torres/Hoje Centro Sul

Foto3: Marcello Casal/Agência Brasil

Galeria de Fotos