facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 1093 - Já nas bancas!
02/03/2018

Equipe técnica do Banco Mundial avalia positivamente obras em Irati

Equipe visitou obras no interior de Irati para ver como os recursos do Banco Mundial foram aplicados

Equipe técnica do Banco Mundial avalia positivamente obras em Irati

Na última semana, uma equipe do Banco Mundial visitou Irati para conferir as obras realizadas com recursos do banco.  Na quarta-feira (21) ocorreu a visita a campo que conferiu as estradas executadas, as obras das microbacias feitas em propriedades e as cooperativas e associações do Pró-Rural.

No início da manhã, os representantes do Banco Mundial, da Secretaria Estadual de Agricultura, do Consórcio Condere dos munícipios de Irati e Inácio Martins se reuniram no auditório da Amcespar para uma conversa inicial. Na ocasião, foram discutidos diversos pontos relacionados ao andamento das obras com a Patrulha do Campo e microbacias.

“Foi interessante conversar com a equipe do consórcio para entender as questões administrativas e técnicas, os gargalos que vem enfrentando.O objetivo é ouvir para poder apoiar e melhorar o processo. Ficou muito claro que o plano de gestão que está contemplado pelo projeto é uma necessidade”, disse Barbara Farinelli, economista agrícola do Banco Mundial.

Ao fim da manhã a equipe se dirigiu às localidades Volta Grande, Campina de Gonçalves Júnior e Mato Queimado, onde estão localizadas algumas obras.

Segundo Barbara a visita de campo foi satisfatória. “Vimos uma amostra pequena, mas o que vimos está alinhado ao programa”, disse.

Ela ainda destacou que durante a visita a uma das propriedades pôde perceber que muitas obras tiveram um impacto ambiental positivo. “O esterco realmente desciamorro abaixo poluindo o espelho de água e com o investimento da esterqueira você vê claramente que isso é capturado em um tanque eliminando o lamaçal, o odor. Este material orgânico é utilizado para fertilização de lavouras e, consequentemente, o laguinho lá embaixo está vertendo peixe. Então claramente você vê que os investimentos não são grandiosos, mas têm um impacto grande na qualidade de vida dos produtores”, avalia.

O chefe do Núcleo Regional da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento do Paraná (Seab), Igor Felipe Zampier, também avaliou como satisfatória a visita. “Tanto uma meta quanto a outra, da estrada e da microbacia, os dois tiveram retornos muito bons, em questão da obra física e aplicação dos recursos”, disse.

Texto: Karin Franco

Foto: Vanderlei Kawa (1,2)

Karin Franco/Hoje Centro Sul (3)

Galeria de Fotos