facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 1080 - Já nas bancas!
09/02/2018

Motoristas protestam contra o preço da gasolina em Irati

Segundo organização, mais de 100 veículos participaram do protesto.

Motoristas protestam contra o preço da gasolina em Irati

Diversos motoristas protestaram na manhã deste sábado (03) em Irati contra o valor da gasolina. Segundo a organização, mais de 100 veículos participaram da carreata que circulou em diversas ruas de Irati. Os veículos também passaram por alguns postos de combustíveis, sendo que em um deles, um motorista abasteceu R$1,00 em forma de protesto.

Os motoristas reclamam que a gasolina vendida no município é mais cara do que em outros lugares.

Um dos que questionam o valor é o vendedor de máquinas agrícolas, Marcos Stoski, que participou da manifestação. Ele conta que gasta por mês uma média de seis tanques de combustível e que a diferença de preço pesa no orçamento mensal. “Estou participando porque não concordo com o preço dos combustíveis. Porque nas outras cidades é bem mais em conta? Indo para Ponta Grossa o litro da gasolina é R$3,76, mas pra onde que vai a gasolina? Não passa no mesmo lugar que Irati? Qual a diferença? Por que esse absurdo de preço?”, disse.

O motorista Darlan Peskekirmiski é vendedor de roupas e também sente no bolso a diferença de preço de combustível. Ele conta que aproveita a visita regular aos seus familiares em Guarapuava para abastecer lá. “Há cinco anos morava em Guarapuava. Ultimamente tenho abastecido lá porque a diferença é grande. O posto mais caro lá é R$0,50 mais barato que aqui em Irati. Quando tenho que abastecer aqui vejo uma grande diferença. Num tanque dá a variação de mais ou menos R$12. Paga os meus pedágios”, relata.

A professora Gilvane Rodrigues comenta que usa o carro para passeios e trabalho e diz que vê uma grande diferença de preço. Ela conta que desconfia até que exista um cartel. “Por que nos outros municípios está mais barato?”, indaga.

Preço

Em nota divulgada na última semana, o Sindicato dos Revendedores de Combustíveis e Lojas de Conveniências do Estado do Paraná (Sindicombustíveis-PR) argumentou que fatores como os impostos, os constantes reajustes da Petrobras e os distribuidores são responsáveis pelo preço da gasolina.

Em relação à Irati, a nota ainda afirma que a situação do mercado no município faz com que o preço seja maior em comparação a outros lugares.

Também em nota, a Petrobras afirmou que a política de preços foi mudada ano passado para acompanhar o mercado internacional e que os reajustes são baseados em análises do mercado interno e internacional.

Já a Associação Nacional das Distribuidoras de Combustíveis, Lubrificantes, Logística e Conveniência (Plural) disse em nota que não comenta os preços das distribuidoras, mas explicou que o preço final é sujeito a diversos fatores como “preço de aquisição do produto, tributos, logística, remuneração dos distribuidores e remuneração dos revendedores, e está sujeita às oscilações de oferta e demanda de um mercado livre”, destaca.

Texto/Foto: Karin Franco/Hoje Centro Sul

Galeria de Fotos