facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 1063 - Já nas bancas!
21/12/2017

Devoção faz mulher construir gruta para Nossa Senhora Aparecida

Glaci Aparecida Rodrigues, de 60 anos, construiu sozinha uma gruta com uma colher de cozinha e um pote de sorvete.

Devoção faz mulher construir gruta para Nossa Senhora Aparecida

De acordo com o ditado popular, a fé move montanhas. Para alguns a fé, além de mover montanhas, também move as suas vidas e as faz realizar coisas que não sabia que era capaz.

É o que aconteceu com Glaci Aparecida Rodrigues, de 60 anos. Devota de Nossa Senhora Aparecida, Glaci a teve como protetora durante toda a sua vida. “Tenho Nossa Senhora Aparecida como se fosse da família, sabe como? Não é aquela idolatria. É uma mãe”, disse.

Nascida no dia 12 de outubro, ao meio-dia, exatamente no Dia da Padroeira do Brasil, Glaci tem a devoção desde pequena. É desde criança também o sonho de representar essa fé através de uma gruta. “Desde pequena meu sonho era fazer uma gruta. Mas como toda vida eu trabalhei, não tinha tempo de fazer”, conta.

O sonho começou a se tornar realidade depois de reformar a sua casa. “Sempre morei em casa de madeira. Dizia pra ela: ‘Um dia quando tiver uma casa de material, eu vou fazer a tua’”, relata.

Quando completou 60 anos, ela iniciou a construção da gruta. “No dia 13 eu fui levar meu neto na escola. Aí pensei: ‘Hoje eu vou começar fazer a minha grutinha senão não termino até dezembro’”, disse. Toda vez que buscava seu neto na escola, Glaci aproveitava para recolher o material que serviria de gruta. “Eu encontrava as pedras na rua, no gramado, onde eu achava, eu catava e colocava na moto. Fui fazendo o montinho. Todo mundo passava, olhava e perguntava: ‘Glaci o que você vai fazer com essas pedras?’. ‘Eu vou fazer uma gruta para a minha santa’”, conta.

Depois de recolher as pedras, Glaci continuou a construção da gruta sozinha, sem muita experiência em construção. Foi descobrindo aos poucos como fazer e encontrava soluções para os problemas que apareciam. “Com dois sacos de argamassa, uma colher de cozinha e um potinho de sorvete, eu construí em 29 dias”, relata. “Todo mundo que vem aqui acha que mandei fazer, mas eu construí com as minhas próprias mãos”, disse.

A gruta de pedras contém um sistema de motor de água, além de pequenos peixinhos, e a decoração de natal com pequenas luzes. “Essa é a casinha da minha santinha”, conta orgulhosa.

Texto/Fotos: Karin Franco/Hoje Centro Sul

Galeria de Fotos