facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 991 - Já nas bancas!
11/08/2017

Reunião debate melhoria da segurança na área rural de Irati

Agricultores de várias localidades e autoridades debateram ações para combater assaltos, que recentemente têm preocupado os moradores da área rural do município de Irati.

Reunião debate melhoria da segurança na área rural de Irati

Na última quinta-feira (03) aconteceu no Sindicato Rural de Irati uma reunião para discutir sobre a segurança nas áreas rurais, devido a crimes de furto e roubo que aumentaram no último semestre no interior do município. O evento, solicitado pelo Sindicato Rural, contou com a participação de vários agricultores e representantes de órgãos públicos.

Na ocasião, foi anunciada a doação de uma caminhonete 4x4, pelo prefeito Jorge Derbli, à Guarda Municipal, para fazer o patrulhamento rural.

De acordo com o agricultor Marionei Chilhen, de Cadeado Santana, a maior dificuldade para os produtores é a forma com o poder público age, em relação aos crimes que vem ocorrendo. “Eu conversei com um vizinho, que foram roubadas as vacas dele. Ele comentou que achou os ladrões, mas ficou indignado porque no momento em que ele achou e foram resgatadas as vacas, a polícia prendeu o autor do crime, mas foi libertado antes mesmo dele chegar a casa, saiu da delegacia antes. Então veja em que ponto crítico nós chegamos, não adianta estar fazendo isso daqui, esse blá, blá. É como o policial falou, os órgãos públicos não ajudam a polícia, estamos de mãos atadas. Quando precisaram a polícia foi e fez a patrulha, mas não teve êxito”, comenta.

Para o agricultor, Milton Garzuze, da localidade do Rio do Couro, os problemas não são resolvidos devido ao medo que a população do interior tem da polícia. “O povo do interior tem medo da polícia, corre. Chegou um carro da polícia já pensam 'o que será que a polícia está investigando'. Eu quero que esse serviço seja encaminhando, se apresentar e contar a situação que acontece no interior, o interior tem problemas, problema de animal eu sei que tem, os vizinhos se queixam, eu não tive problemas, mas tem muitos, sim”, disse.

O 2º Tenente Moises Hadalton Silva, representando a Polícia Militar, explicou que esse medo atrapalha a resolver os casos, e também que é preciso que a comunidade colabore com a polícia para que não ocorram mais esses crimes. “A nossa filosofia agora é de policiamento comunitário, que seria uma aproximação com a comunidade a fim de saber da demanda de segurança que eles precisam e também para passar orientações e aumentar, estreitar esses laços para, como a gente fala, segurança é de responsabilidade do estado, mas é de responsabilidade de todos, e isso já começa hoje. Então são tão importantes essas reuniões como teve hoje, de iniciativa do sindicato, onde a gente pode ter contato direto com o pessoal das comunidades, da área rural e partir disso, com contato direto do sindicato, fazer novas reuniões e diminuir esse medo. Porque a Polícia Militar está ai para ajudar, não para atrapalhar ninguém, para auxiliar e passar segurança”, explica.

A reunião

De acordo com o presidente do Sindicato Rural, Mesaque Kecot Veres, a reunião foi feita devido à demanda por parte dos agricultores,  que relataram problemas com violência, com roubos e furtos. “Nós estávamos tendo problemas com questão de violência, roubo, furtos", afirma.  Ocorrem, segundo o presidente do sindicato, roubos de motosserras, veículos, roçadeiras, roubo de produção, principalmente os de tabaco, além de violência contra os agricultores, invasão de casas.

E a reunião, foi para tentar encontrar uma solução para os problemas. “Eu fiquei muito satisfeito com esse encontro, nós tivemos uma participação muito significativa de produtores que demonstra a gravidade do problema, principalmente ao redor da cidade, em um raio de 15/20 km, mas de maneira geral essa violência é esparramada pelo município. Então hoje nós já percebemos providências que foram sendo tomadas”, ressalta.

Para ele, a reunião foi de extrema importância para todos os envolvidos, que perceberam que todos estão empenhados em resolver a situação. “Isso já foi uma conquista muito importante. A gente percebeu que o agricultor não está sozinho, todas as entidades estão unidades na busca da solução”, comenta.

Ações de segurança

Na reunião foram entregues cartilhas aos agricultores participantes sobre a segurança rural e também com informações importantes para evitar situações de risco. O 2º Tenente explica que é importante que o produtor leia com atenção e siga corretamente as instruções. “A cartilha que foi disponibilizada a todos e foi feito um resumo durante a palestra, traz várias orientações, é interessante a pessoa ler com calma, e prestar atenção, e não apenas ler. Ler o conteúdo, absorver e tornar prático isso. Ter um direcionamento de efetivo da Polícia Militar, da Guarda Municipal para aumentar o policiamento na área de segurança, e mais a população tomando esses cuidados que constam na cartilha, com certeza vão diminuir os índices de furto e roubo”, conta.

O 2º Tenente Moises acredita que com a colaboração da Guarda Municipal os crimes irão diminuir. “Atualmente nós temos uma área de serviço que contempla a área rural, é feito o patrulhamento esporádico em algumas localidades. Isso em todos os municípios da 8º CPM, inclusive em Irati. Não há específica uma patrulha rural, mas como foi adiantado pelo prefeito, está para ser incrementado tanto para a Polícia Militar como a Guarda Municipal, que vai reforças a segurança no interior”, salienta.

De acordo com o vereador Edson Luiz Elias, o Soldado Elias, muitos órgãos estão envolvidos para resolver os problemas. Ele salienta a importância da reunião para expor os casos e as soluções que serão tomadas.

“Atitudes já estão sendo tomadas por parte da nossa Polícia Militar, a Secretaria de Segurança, a Guarda Municipal, enfim, essa atitude louvável do prefeito de passar a caminhonete que estava sendo utilizada para o trabalho dele, passou para a Guarda Municipal fazer um trabalho no interior com uma caminhonete 4x4. Então já começaram as ações. A Polícia Militar já está fazendo outros trabalhos, solicitamos através da Câmara Municipal mais contingência, mais efetivo para a 8º CPMI, já fomos sinalizados que vão vir dois ou três companheiros, que são iratienses e estão trabalhando fora, mais essa viatura, com certeza vamos inibir esses mal intencionados que infelizmente estão amedrontando, não só o centro da cidade, mas infelizmente o nosso interior do município”, observa o vereador.

Outra alternativa para uma maior segurança dos agricultores é a aquisição da patrulha rural que ainda está em trâmite para vir ao município.  “Está vindo à patrulha rural, nós já fizemos esse pedido. O pedido já está na mão do secretário Rossoni, o deputado, também da justiça, o secretário Artagão tem conhecimento, já está bem adiantada essa documentação para recebermos brevemente uma caminhonete, um veículo preparado para andar em estradas rurais”, comenta Elias.

Será montado também um grupo com os vizinhos das áreas rurais para poderem se comunicar com os órgãos responsáveis e ter uma resposta do setor público, conta o presidente do Sindicato Rural. “Agora na sequência nós vamos falar com a Federação Rural e com o Senar, de repente para auxiliar na montagem desses grupos de vizinhos na área rural, para nós estarmos articulados com celular, e de repente esse grupo estar articulado com as autoridades", comenta Mesaque Kecot Veres. Ele conta que o sindicato dará sequência nos trabalhos com os agricultores que estiveram presentes na reunião. "Essa união de nós moradores da área rural é muito importante, e muito importante também é a resposta do setor público, porque nós pagamos os impostos e o setor público tem que nos devolver com ações efetivas, hoje nós já percebemos as providências concretas, é isso que nós precisamos e é isso que nós queremos”, explica o presidente do Sindicato Rural.

 

Texto: Da Redação/Hoje Centro Sul

Fotos: Silmara Andrade/Hoje Centro Sul

Galeria de Fotos