facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 1010 - Já nas bancas!
17/06/2017

Editorial - Imunização é essencial

Editorial - Imunização é essencial

Diferente dos outros anos, o Ministério da Saúde estabeleceu neste ano a meta de 90% para a cobertura da vacina contra a Influenza, conhecida popularmente como a vacina da gripe.

O aumento da meta de 80% para 90% dificultou para que os estados conseguissem cumprir o estabelecido. No entanto, a maior dificuldade ficou mesmo em fazer com que crianças e idosos fossem vacinados, algo que já ocorria em outros anos.

Entre as razões para isso acontecer está a falta de informação e a informação errônea sobre a doença. No caso de pessoas idosas, muitos têm medo de se vacinarem e pegarem a gripe. O que desconhecem é que a vacina protege contra três tipos de vírus e quando uma pessoa toma a vacina e adoece logo em seguida, essa doença pode ter sido causada por um vírus diferente das outras três.

Já no caso das crianças, a dificuldade é fazer com que os pais levem os menores de cinco anos até uma unidade de saúde para se vacinar. Muitos pais têm evitado fazer isso porque falsas informações de que as vacinas podem prejudicar a vida da criança estão se espalhando pelas redes sociais. A informação falsa já se espalhou de tal maneira que pais em outros países, como os Estados Unidos, estão exigindo o direito de não vacinar seus filhos.

As informações errôneas e mal interpretadas disseminadas em nosso cotidiano têm sido cada vez mais o nosso maior desafio como sociedade. Elas não só ludibriam pessoas que acreditam nessas informações como também prejudicam o andar de processos cotidianos, seja ele na área pública ou privada.

No caso das vacinas, a falta de informação ou a informação errada sobre o assunto poderá trazer uma qualidade de saúde menor e um aumento na gravidade das doenças, podendo gerar mortes. Um exemplo é o óbito por Influenza registrado na região. O vírus que causou o óbito está entre os três tipos que a vacina protege.

Não tomar a vacina é um direito que a pessoa pode ter, mas em um mundo em que os vírus estão cada vez mais fortes, a imunização é essencial, especialmente entre as pessoas dos grupos prioritários que têm menos força para lutar contra esses vírus. Além disso, ao se vacinar, as pessoas não só protegem a si mesmas, como as pessoas ao redor, já que diminui a área de circulação desse vírus.

É necessário que a população tome cuidado com as informações que recebe, para que mais mentiras não sejam espalhadas. A cobertura vacinal e a imunização não são somente números, mas sim, uma forma de combater um cenário triste, com mais pessoas adoecidas e até mortes.