facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 969 - Já nas bancas!
20/04/2017

Proteção de Nascente ajuda comunidade em período de escassez de água em Irati

Proteção de Nascente ajuda comunidade em período de escassez de água em Irati

Na quarta-feira (11) os beneficiários da Chamada Pública da Sustentabilidade do Arroio Grande, município de Irati, tiveram a oportunidade de aprender mais sobre a importância da água e a preservação desse recurso em uma Reunião Prática de Proteção de Fontes.

A comunidade do Arroio Grande tem esse nome, mas há muito tempo o arroio deixou de ser grande. “Nossa comunidade sofre muito com a falta de água em períodos de seca” conta Jaciel Zaikevicz que é morador da localidade. “Hoje nós temos ela aqui na propriedade porque choveu a semana passada mais de 50 mm, caso contrário, temos que buscar com galões longe daqui”.

Foi com esse cenário que a comunidade se reuniu para aprender como preservar essa preciosidade. “Para termos mais água o primeiro passo é proteger o ambiente que aflora nossas vertentes”, afirma o extensionista da Emater, Bruno Luis Krevoruczka. “Manter a vegetação ciliar no raio de 15 metros em áreas consolidadas é o mínimo que um agricultor pode fazer, tanto pela lei, quanto pela preservação dos recursos naturais”, continua Krevoruczka.

O evento ocorreu em parceria com a Secretaria Municipal de Agricultura de Irati, que mantém desde 2006 um trabalho de proteção de nascentes na figura dos técnicos Osnei Abel Lopes e Alessandro Trybek. “Hoje nós mostramos aos agricultores familiares aqui do Arroio como proteger uma nascente pelo método do Solo-Cimento”, afirma Abel. “A mistura de solo argiloso com cimento oferece um material resistente e de secagem rápida, possibilitando o isolamento da nascente, evitando assim que contaminantes prejudiquem a qualidade dessa água”, complementa Trybek.

O proprietário do imóvel onde a nascente foi protegida é o agricultor Joel Cordeiro de Paula, que ficou contente com o trabalho realizado: “Eu achei que essa nascente não ia dar em nada, mas no final temos 250 litros de água por hora de vazão, com uma caixa d’agua posso abastecer a minha casa e a dos vizinhos, e com água boa! ”.

A intenção do evento, que utilizou recursos do programa Pro-Rural da Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento – SEAB, “é que os agricultores aprendam a técnica e repliquem em suas propriedades e nos vizinhos, para que cada vez mais a comunidade sofra menos com a falta de água”, finaliza Bruno.

Texto/Fotos: Assessoria Emater

Galeria de Fotos