facebooktwitterinstagramgoogle+
Edição 977 - Já nas bancas!
20/04/2017

Vandalismo danifica túmulos do Cemitério da Vila São João

Vandalismo danifica túmulos do Cemitério da Vila São João

Ações de vandalismo em túmulos do Cemitério Municipal da Vila São João têm incomodado as famílias cujos entes queridos estão enterrados no local. Nos últimos dias ocorreram pichações em alguns túmulos. Dentre eles, o da família de Irene Stresser, que entrou em contato com o jornal para relatar o problema.

“Era para ser um lugar de repouso, de tranquilidade, mas os marginais entram e fazem pichações, quebram vidros e isso me deixa muito triste”, diz Irene. Ela conta que recentemente seus irmãos faleceram e foram enterrados no Cemitério da Vila São João. Apesar de seu esforço para deixar o espaço organizado e bem cuidado, tem sido difícil reparar a destruição provocada pelos vândalos.

“No ano passado trocamos os vidros quatro vezes”, relata Irene. Outro problema, segundo ela, é que o grafiato do local de descanso de seus familiares foi todo riscado. Além disso, ela conta que já encontrou pessoas andando a cavalo dentro do cemitério e que também viu jovens fumando maconha no local.

Irene afirma que se sente triste com o desrespeito daqueles que praticam ações de vandalismo no Cemitério da Vila São João, sobretudo à noite, quando não há guardião. 

O administrador do local, Miguel Bueno, conta que roubos e vandalismo acontecem desde 2012. “Roubaram a roçadeira, dois aparador de grama, roubaram ferramenta de cemitério e mais um tanto que nos tínhamos ali. Eu somei e deu uns R$ 2.400”, contou. “Agora no dia 23 de março voltou de novo. Roubaram um carrinho nosso, levaram relógio e o rádio e um botijão de gás”.

Até o portão do cemitério chegou a ser roubado. “Roubaram o portão faz uns três meses. Eu anunciei no rádio e avisei todos os ferros-velhos que não comprassem, dei a metragem do portão, dei a cor do portão, que era do cemitério. Passou duas semanas apareceu o portão em cima de uma capela. Devolveu”, relata.

Além de materiais do cemitério, também já foram registrados furtos de detalhes dos túmulos que parecem prata e ouro.

Miguel conta que já comunicou a Secretaria de Ecologia e Meio Ambiente sobre a situação. Para ele, o cemitério precisa instalar um alarme e de um vigia noturno para diminuir os atos de vandalismo.

Texto: Da Redação/Hoje Centro Sul

Fotos: Karin Franco/Hoje Centro Sul

Galeria de Fotos